03 de setembro, 2014 - Belém

Prevenção nos estádios: exemplo da Fifa aos paraenses


Marcelo Seabra

Prevenção nos estádios: exemplo da Fifa aos paraenses

Os cerca de 40 processos contra Remo e Paysandu no STJD por má conduta de torcedores, ao longo dos 11 anos do Estatuto do Torcedor, fizeram o colunista pesquisar sobre medidas preventivas. O torcedor Sérgio Costa me afirmou que água e refrigerante só são servidos em copos plásticos nos estádios do futebol cearense. Garrafa pet, nem pensar! A mesma medida foi aplicada pela Fifa nas suas competições oficiais, como na recente Copa do Mundo, no Brasil. A Fifa estabeleceu uma lista de 23 itens proibidos nos estádios, tais como “garrafas, copos (exceto os copos de plástico), jarras, latas, ou qualquer outra forma de recipiente fechado, de qualquer tipo, que possa ser atirado e causar lesões, bem como objetos feitos de vidro ou qualquer outro material frágil, estilhaçável ou especialmente duro, embalagens Tetrapak ou caixas térmicas duras”. A lista trata ainda de fogos, sinalizadores, mastros de bandeiras e animais, exceto os cães guia. Seria importante os clubes, principalmente Remo e Paysandu, além da FPF, Polícia Militar e Ministério Público terem acesso à lista da Fifa, disponível na internet. Se seguissem a prevenção da Fifa, e fizessem rigorosa fiscalização, Remo e Paysandu não teriam sofrido este ano os embaraços da invasão do gramado do Mangueirão em pleno Re-Pa, e o Papão não teria sofrido as consequências dos rojões disparados no jogo contra o Fortaleza, no Mangueirão, nem do arremesso da garrafa plástica ao gramado no jogo contra o Salgueiro. Pela falta de prevenção, nos últimos 11 anos o Remo já sofreu 14 e o Paysandu 13 punições do STJD com perda de mandos de campo. 

Proibição aos menores de idade

O fato de um adolescente ter arremessado a garrafa ao campo, no sábado, fez o Paysandu observar a frequência de infrações cometidas por menores de idade nos seus jogos. Por isso, o clube resolveu agir com rigor na proibição do acesso de crianças e adolescentes aos estádios onde for mandante, a não ser na companhia de pai ou mãe. É uma providência importante, já que há indicativos de um volume em torno de 40% de menos nos grupos de vandalismo. Outra hipótese levantada no Paysandu é a exclusividade de ingressos para os Sócios Torcedores, o que puniria os torcedores comuns em geral.  

Leãozinho, vitorioso apesar dos pesares

Quem vê o sub 20 do Remo bicampeão da Copa Norte, com prestígio no país inteiro pela campanha na Copa do Brasil 2013, nem imagina o que acontece internamente. O técnico Valter Lima, condutor do vitorioso Leãozinho, tem passado por humilhações no Baenão. O clube não abre caminhos e até descarta revelações, como nos casos de Jayme, Rodrigo, Igor João e outros talentos. Assim é o Remo dessa gestão admiravelmente esforçada, mas flagrantemente amadora, principalmente no trato com as categorias de base. Apesar dos pesares, os frutos aparecem, como nos casos de Rony, Tsunami, Ameixa e companhia.  Para os atletas, todo tipo de carência, principalmente de campo para treinamentos. 

Foi passando por cima das adversidades internas que o Leãozinho chegou a mais um título nortista e garantiu passaporte para mais uma Copa do Brasil. Estreia contra o Goiás, em Belém, dia 1º de outubro.

Para ler a coluna completa, assine O Liberal Digital!