13 de maio, 2014 - Belém

Paysandu alcança sua terceira melhor sequência sem tomar gols


Papão na 3ª maior sequência de jogos da história sem tomar gols

Para sanar a vulnerabilidade defensiva que fez o Paysandu tomar gols em 20 dos primeiros 28 jogos na temporada, Mazola Júnior criou funções estratégicas. Vânderson passou a jogar como terceiro zagueiro, um líbero avançado. E pelos lados do campo, dobradinhas entre Pikachu e Djalma pela direita, Bruninho e Airton pela esquerda. Além disso, maior aplicação dos atacantes e meias na primeira marcação. O goleiro Paulo Rafael entrou no time e em cinco jogos ainda não foi vazado.

O Paysandu está na terceira maior seqüência de jogos da sua história sem tomar gols (mais detalhes nas Baixinhas). O Papão fez 2 x 0 no Águia, 1 x 0 no São Francisco, 0 x 0 com o CRB, 3 x 0 no São Francisco e 1 x 0 no ASA. Essa seqüência estará à prova na quinta-feira, contra o Sport Recife, pela Copa do Brasil, no Mangueirão. O Sport pode estar optando pela Copa Sul-Americana e, para disputá-la, teria que sair da Copa do Brasil, como fez a Ponte Preta, ano passado, eliminada pelo Nacional de Manaus.

Roberto Fernandes investe no currículo

Em 17 anos de carreira, o técnico Roberto Fernandes tem 27 clubes no currículo. E só foi campeão regional no Distrito Federal com o Brasiliense em 2007 e no Rio Grande do Norte com o América em 2012, além de ter conquistado a Série B2 de São Paulo com o Primavera em 2001. Com tantos clubes na rodagem e tão poucos títulos, Roberto Fernandes está investindo no currículo diante da oportunidade de ser campeão paraense pelo Remo, e transmitindo a mesma ideia aos jogadores.

O zagueiro Raphael Andrade no Brasiliense e o goleiro Fabiano no América de Natal foram atletas de Roberto Fernandes nos seus dois títulos regionais e trabalham para repetir a dobradinha. De todo o elenco azulino, Fabiano tem o currículo mais rico. Pelo Santos foi campeão do torneio Rio/São Paulo em 1997 e da Copa Conmebol em 1998. Foi campeão também da A2 paulista pela Inter de Limeira em 2004, cearense pelo Fortaleza em 2010, além de potiguar pelo América em 2012. O segundo melhor currículo é de Eduardo Ramos, campeão da Série B pelo Corinthians em 2008, pernambucano pelo Sport em 2010 e paraense pelo Paysandu em 2013. Leandrão foi campeão gaúcho pelo Inter em 2009, pernambucano pelo Sport em 2010, da Série C em 2010 e potiguar em 2011 pelo ABC. Athos tem os títulos catarinense de 2005 e Série C de 2006 pelo Criciúma. Thiago Potiguar e Dadá foram campeões paraenses pelo Paysandu em 2010.

Remanescentes do último título

Campeões com a camisa do Remo, no atual elenco, somente o lateral Levi e o meia Ratinho, únicos remanescentes do elenco  de 2008, que tinha o comando de Artur Oliveira. Naquele campeonato, Levi era lateral esquerdo.

Os dois começaram este campeonato como reservas. Levi virou titular ainda no 1º turno, por conta das más atuações de Diogo Silva. Ratinho retomou sua importância na goleada sobre o Independente, quando jogou apenas 33 minutos e fez dois gols, além de dar passe para outro.

Depois do título de 2008, o Remo entrou no inferno astral, caindo para a posição de aspirante à Série D. No Parazão, de 11 turnos disputados, conquistou apenas dois (2º de 2012 e 1º de 2014).

Para ler a coluna completa, assine O Liberal Digital!