11 de dezembro, 2014 - Belém

Leão x Papão, quem fez mais sucesso de público em 2014?


Leão x Papão, quem fez mais sucesso de público em 2014?

Ao juntar os 100 clubes das quatro séries do Campeonato Brasileiro, todos num mesmo ranking de público, o site senhorgol.com.br destaca o Paysandu na 11ª posição, com 126.845 ingressos vendidos em oito mandos com bilheteria. Média de 15.856. O Remo, fazendo quatro jogos em Bragança e somente um em Belém, na Série D, é o 31º colocado, com 32.476 pagantes nos cinco mandos. Média de 6.495. O Águia é o 78º com apenas 6.520 pagantes em 9 mandos. Média de 724. Também na Copa Verde, o Paysandu teve mais público em números absolutos e o Remo teve melhor média. O Papão levou a melhor sobre o rival na Copa do Brasil no total e na média de pagantes. Mas no Parazão deu Leão Azul no total e na média de ingressos vendidos. O quadro abaixo mostra os números gerais de público dos dois rivais paraenses em 2014, com o Papão levando a melhor na totalização e o Leão na média.

REMO

45.815 ingressos em 3 mandos na Copa Verde

32.476    “    “    4    “    na Série D

133.491    “    “    12    “    no Parazão

6.474    “    “    1 mando  na Copa do Brasil

218.256

Média de 10.913

PAYSANDU

39.513 ingressos em 4 mandos na Copa Verde

126.845    “    “    8    “    na Série D

83.208    “    “    12    “    no Parazão

11.263    “    “    03    “    na Copa do Brasil

260.829

Média de 9.660

Nas bilheterias, o Papão disparou

A temporada 2014 foi uma das mais pródigas da história do Paysandu. O clube lucrou quase R$ 3,5 milhões na Série C, quase R$ 1,4 milhão no Parazão, R$ 800 mil na Copa Verde e Copa do Brasil. Aproximadamente, R$ 5,7 milhões de lucro, além de R$ 2 milhões em patrocínios e R$ 2,5 milhões no programa Sócio Torcedor. Receita geral líquida acima de R$ 10 milhões. O faturamento líquido do Remo ficou em R$ 6 milhões, sendo R$ 2,9 milhões nas bilheterias. Em 2015, o Paysandu terá R$ 2,7 milhões somente da cota de participação na Série B, e todas as condições de incrementar a receita nos patrocínios e no programa Sócio Torcedor. O Remo é tetra-campeão de público e de renda no campeonato estadual. Dependendo do que o time fizer em campo, a torcida garante o sucesso nas arquibancadas e bilheterias.

Articulações políticas para o futuro da dupla Re-Pa

Silenciosamente, articuladores já estão em ação no Remo e no Paysandu visando às eleições de 2016. No Leão, que elege presidente no próximo sábado, um grupo de empresários e profissionais liberais está nas primeiras conversas para gerar um projeto e uma candidatura capaz de dar ao clube a organização que tanto precisa para sair do atoleiro. No Papão, já é pensada uma escala sucessória em cima de jovens empresários, afinados na linha cumprida por Vandick Lima e prometida por Alberto Maia.  

As significativas melhorias na estrutura física do Paysandu e os flagrantes avanços organizacionais dão aval ao grupo atual para fazer os próximos presidentes, dependendo do que for na prática a gestão de Alberto Maia nos próximos dois anos. No Remo, os grupos que disputam o poder para o próximo biênio mostram em plena campanha as mesmas características do comando que o clube teve nas últimas gestões. Basta observar que nesse período de campanha o foco esteve muito mais de pessoas do que nas urgências do clube. Há décadas vem sendo assim: as pessoas acima da instituição, ideias soltas em vez de projetos, imediatismo em vez de planejamento, sempre na busca de soluções mágicas.  

Para ler a coluna completa, assine O Liberal Digital!