01 de agosto, 2014 - Belém

Jogos inéditos para Leão, Papão e Águia


Jogos inéditos para Leão, Papão e Águia

O Remo jamais enfrentou o Interporto. O duelo de amanhã, em Porto Nacional , será inédito, como também serão os jogos de domingo na Série C: Paysandu x Crac/GO, Botafogo/PB x Águia. É o fim de semana da “primeira vez”. O Paysandu sofre a pressão da proximidade da zona do rebaixamento e o Águia trata de largar a “lanterna” da Série C. Situação pra lá de incômoda. O Remo vive o desconforto da terceira posição num grupo de cinco clubes na Série D e tem o desafio de derrotar o Interporto no Tocantins para virar líder, já que o River folga nesta rodada. A vitória seria fundamental para o ambiente dos remistas. Afinal, o Leão Azul vai folgar na quarta rodada. E no estresse do clube, a torcida será impaciente e intolerante até que o time prove seu potencial para subir à Série C e tirá-la do inferno moral que a atormenta há seis anos.

Thiago Potiguar, depois da lição

Marrento, indisciplinado, excessivamente individualista, Thiago Potiguar chegou a irritar a torcida do Remo no primeiro semestre. Não por acaso o atleta foi colocado em disponibilidade e não conseguiu outro emprego. Teve que aceitar redução de salário para ter nova chance no Leão Azul, para onde veio este ano atendendo pedido da família da esposa. Portanto, depois da lição, Thiago Potiguar reaparece no time azulino devendo para ele mesmo, para o clube e para o pessoal de casa.

Aos 28 anos, Thiago Potiguar ainda tem todas as condições para voltar a ser importante. Basta querer. Se enquadrando, seguramente será peça vital na campanha do Remo rumo à Série C de 2015. No primeiro semestre, em 24 jogos, fez apenas três gols com a camisa azulina, todos no interior: em Santarém, contra o São Francisco; em Cametá, contra o Cametá; em Parauapebas, num amistoso contra a seleção da cidade. A última boa performance de Thiago Potiguar foi em Alagoas, ano passado, no campeonato estadual, pelo Corinthians Alagoano. Tanto que foi contratado pelo CRB, onde iniciou a trajetória decadente.  

Avanços nos estádios

O Baenão já foi reaberto, com novo gramado e algumas outras melhorias significativas. Falta a construção da área vip, no espaço da edificação derrubada no lado da travessa das Mercês. É um assunto que estranhamente esfriou no mundo azulino. Em setembro será reaberta a Curuzu, amplamente revitalizada, numa obra de R$ 1,8 milhão, com novo gramado e várias outras melhorias. Em outubro o futebol paraense voltará a ter o Mangueirão, com novo gramado, novo sistema de vigilância eletrônica, novo sistema de catracas, novo sistema elétrico e algumas outras melhorias. Se os principais estádios da capital apresentam avanços, no interior o futebol do Pará ganhou a Arena Verde em Paragominas, o novo gramado do Parque do Bacurau em Cametá, um novo gramado (ainda sem sistema de drenagem) em Marabá, melhorias recentes no Diogão em Bragança. Santarém está ganhando lentas obras de modernização e conclusão do estádio Colosso do Tapajós. Marabá tem lentas obras de um novo estádio. Castanhal engatilha obras de ampliação do Modelão, no que ainda depende da liberação de verba federal.