01 de maio, 2014 - Belém

Hoje, o jogo mais tenso do ano para o clube mais estressado do país


Hoje, Leão no jogo mais tenso do ano

Como aspirante à Série D, desde 2009, o Remo já tornou-se um clube tenso. Seguramente o clube mais estressado do país! Essa tensão se multiplica nos jogos mais decisivos, como o de hoje, com o agravante da necessidade de vitória sobre o Independente por três gols de diferença para ir à decisão do turno. E os ânimos ficaram mais exaltados ainda depois do episódio de sábado, quando dezenas de “torcedores” invadiram o gramado em pleno treinamento e ameaçaram jogadores. Nesse clima, o Leão terá que vencer seus próprios fantasmas para ter possibilidade de eliminar o Galo Elétrico.

O jogo de hoje, 16 horas, no Baenão, terá conseqüências significativas no Remo, com qualquer de seja o resultado. Se conseguir a façanha da classificação, o Leão como um todo vai entrar em estado de euforia e as mazelas serão dadas por sepultadas. Se não conseguir, mas for valente e insistente na busca do resultado, terá o reconhecimento dos torcedores, tal como no Re-Pa em que se despediu da Copa Verde. Se repetir a apatia mostrada em Tucuruí, as conseqüências poderão ser trágicas. Mas depois do susto de sábado, apatia é uma hipótese que deve ser descartada.

A missão da classificação é muito difícil para o Leão Azul, mas também não parece fácil para o Independente, que será muito pressionado e terá que ser resistente tática, física e emocionalmente para sair do Baenão classificado. Por enquanto, a única certeza é que esse será o jogo mais tenso do ano.

Papão festeja seqüência sem tomar gols

Terminada a Copa Verde, Mazola Júnior fez um desabafo nos microfones pelos muitos gols tomados pelo Paysandu na temporada. Àquela altura, 28 gols em 28 jogos, mesmo jogando com três volantes. Depois, ao estrear na Série C (vitória sobre o Águia por 2 x 0) e ao enfrentar o São Francisco na semifinal do 2º turno estadual (vitória por 1 x 0), o Papão fez uma seqüência de dois jogos sem ser vazado. O suficiente para restabelecer a esperança de ajuste do sistema defensivo, a ser melhor testado no sábado, em Alagoas, diante do CRB.

O Papão chegou a construir uma seqüência de quatro jogos sem tomar gols, entre 19 e 30 de março, ao empatar duas vezes com o Remo (0 x 0 e 0 x 0) e vencer o Paragominas (2 x 0) e o Cametá (3 x 0). No total, dos 30 jogos que fez este ano, o Papão foi vazado em 20, tomando 28 gols. Ainda é muito para um time que pretende retornar à Série B, encarando o crivo da disputadíssima Série C. Na artilharia o Papão vai muito bem, com 65 gols marcados este ano. Média de 2,16 por jogo.

Na Série C, Águia não perde em Marabá há 21 jogos

Nos últimos três anos, o Águia foi imbatível em Marabá na Série C. Em 21 jogos, teve 14 vitórias e 7 empates no estádio Zinho Oliveira. A última derrota no campeonato brasileiro foi em 2010, para o ABC de Natal, por 1 x 0.

Domingo o Águia vai receber o Salgueiro. O time pernambucano está na história da invencibilidade aguiana. No único confronto em Marabá, empate em 2 x 2, em 2012. No reencontro, domingo, os dois times vão jogar pela reabilitação. Afinal, o Águia vem de derrota para o Paysandu (2 x 0) em Castanhal, enquanto o Salgueiro estreou perdendo em casa (1 x 0) para o Fortaleza.

Para ler a coluna completa, assine O Liberal Digital!