04 de junho, 2014 - Belém

É hoje! O Re-pa será de ousadia, cautela ou meio termo?


RE-PA da ousadia, da cautela ou do meio termo?

Nos dois duelos da decisão do 2o turno, Leão e Papão fizeram 10 gols (2 x 2 e 3 x 3). E hoje, o que esperar? Será o Re-Pa da ousadia, da cautela ou do meio termo? Como desta vez não há vantagem para ninguém, e tratando-se do primeiro de dois jogos que vão decidir o título estadual, a tendência é que haja mais cautela, principalmente do Remo, que está sensivelmente desfalcado. O Paysandu estaria mais para o meio termo. Mas os acontecimentos do próprio jogo vão determinar as condutas. Um gol obrigaria o time em desvantagem no placar a se arriscar. Uma expulsão daria mais espaço à equipe com vantagem numérica. São hipóteses que podem esquentar e até incendiar o Re-Pa de hoje.

A pancadaria que encerrou o jogo passado deve ter deixado um ambiente constrangedor entre os profissionais azulinos e bicolores. Por esse desconforto moral, é muito importante o comando de um árbitro da Fifa. Leandro Vuaden transmite segurança. E as medidas que restringem o acesso ao gramado dão o sentido de organização que faltava e que uma decisão exige, principalmente num estado de rivalidade acirrada. No jogo em si, o Paysandu leva cotação um pouco acima, por conta da ausência de cinco titulares no time remista. Mas a história do Re-Pa é pródiga em exemplos de superação, como se espera do time azulino. O jogo deve confirmar as dificuldades e as emoções típicas de um clássico que vale título.

Pikachu e Rony, os mais vigiados

Nem o artilheiro Lima, nem o badalado Eduardo Ramos, as mais caras importações dos dois clubes, que concentravam as atenções no primeiro Re-Pa do ano. No 9o clássico de 2014, os jogadores mais vigiados em campo, hoje, serão os pratas da casa Yago Pikachu e Rony. Já foi assim na decisão do 2o turno, quando Roberto Fernandes incumbiu Ilaílson de acompanhar os passos de Pikachu e Mazola Júnior escalou Pablo, depois Ricardo Capanema, para o mesmo tipo de marcação sobre Rony.

O azulino Rony, 19 anos, tem apenas oito jogos no campeonato e só foi titular nos últimos três, mas além de ter feito três gols, deu vida nova ao ataque do Leão e abriu novos caminhos. É rápido e habilidoso. Joga com itensidade e sempre se oferecendo como opção para os homens de criação. O bicolor Yago Pikachu está na terceira temporada como profissional, mas já tem uma história construída, com 138 jogos e 35 gols. Pikachu, que é peça chave no esquema tático, faz aniversário amanhã, completando 22 anos. Ou seja, esta decisão ou vai adoçar ou vai azedar a comemoração particular da família Lisboa.

Sinal verde para Sócios Torcedores

Depois de restringir o direito dos sócios torcedores nos RePas em que seu clube fosse mandante, nesta decisão os clubes dão sinal verde para todos. Ou seja, os sete mil sócios torcedores do Papão e os três mil do Leão terão acesso garantido aos dois jogos, hoje e domingo. Assim, os dois clubes devem estar investindo nessa decisão de campeonato não só por mais adesões, mas também para motivar inadimplentes a pagar o que devem e voltar a usufruir. Leão e Papão precisam fazer "caixa" para o período vazio da Copa do Mundo.

O programa Sócio Bicolor está rendendo ao Paysandu mais de R$ 300 mil mensais. O Nação Azul rende ao Remo R$ 120 mil por mês. É receita líquida, muito significativa para as finanças dos clubes. O problema nessa história que os sócios torcedores estão entrando nos estádios sem o canhoto do ingresso. Portanto, sem direito ao eventual seguro, em caso de invalidez ou de morte por acidente dentro do estádio.

Para ler a coluna completa, assine O Liberal Digital!