07 de agosto, 2014 - Belém

Carlos Ferreira


Cartolagem remista passa recibo de amadorismo

O presidente Zeca Pirão e o diretor Thiago Passos (foto) vão aos microfones e declaram a intenção de antecipar a volta de Eduardo Ramos para a decisão do acesso à Série C. No dia seguinte, o diretor executivo Emerson Dias trata o assunto como “especulação”, ao mesmo tempo que o Joinville, através do executivo César Sampaio, manifesta estranheza com a questão. Fica o dito pelo não dito, e o recibo de amadorismo passado pela cartolagem remista, ao levantar uma hipótese, tratá-la como possibilidade encaminhada e depois reduzi-la a “especulação”. Uma inconsequência! Foi dito que Eduardo Ramos poderia vir, caso o Joinville antecipasse o acesso à Série A, como se o clube catarinense não pretendesse o título da Série B. Além disso, ficou evidente que o Remo jogou o assunto na imprensa sem sequer consultar o Joinville. Esse procedimento expressa bem o amadorismo azulino. Terça-feira, vi Eduardo Ramos em atuação discreta, como titular do Joinville, na vitória sobre o Sampaio Corrêa (3 x 1).

Águia x Papão já foi mais frequente que o Re-Pa

A partir de julho de 2008, quando o Águia passou a disputar continuamente a Série C, o confronto do time marabaense com o  Paysandu chegou a se tornar o mais frequente do futebol paraense, em 2012, superando o Re-Pa. Nos dois últimos anos o Re-Pa voltou a ser o mais frequente, com 32 clássicos, contra 30 jogos Papão x Azulão. Ao todo, são 46 jogos entre Paysandu e Águia, desde 1999, quando o clube de Marabá ascendeu ao futebol profissional. O histórico tem 22 vitórias do Papão, 15 vitórias do Azulão e 09 empates. Na totalização de gols, 113 a 76 para o clube bicolor. Foram 19 jogos no “Zinho Oliveira”, 15 na Curuzu, 10 no Mangueirão e dois no Rosenão, em Parauapebas. Pela Série C, equilíbrio: 13 jogos, seis vitórias do Papão (3 x 1, 3 x 2, 2 x 1, 2 x 0, 2 x 1, 2 x 0), quatro vitórias do Águia (2 x 0, 3 x 2, 2 x 1, 2 x 1) e três empates (1 x 1, 1 x 1, 2 x 2). Nesses 13 jogos, nenhuma vitória de visitante.  João Galvão, que comandou o Águia por cinco anos e quatro meses, saiu invicto dos duelos com o Paysandu em Marabá. Na última derrota em casa para o Paysandu,  em abril de 2008, Águia era dirigido por Vitor Jaime, e o Papão por Edson Boaro. 

Em janeiro, 25 dias para pré-temporada

Enquanto lutam para que atraso de salário implique em rebaixamento para os clubes, os atletas profissionais do futebol brasileiro comemoram a conquista obtida no calendário oficial da CBF. Estão reservados 25 dias para pré-temporada, de 7 a 31 de janeiro. Ou seja, os campeonatos estaduais só poderão começar em fevereiro. Isso é fundamental para o rendimento e para a preservação dos atletas, que a cada início de ano eram expostos à ridicularização por má performance e a lesões por esforço sem base fisiológica. Essa reivindicação fez o Bom Senso FC emplacar, a partir das manifestações minutos antes de alguns jogos do Campeonato Brasileiro de 2013. A medida causa embaraços por implicar na falta de bilheteria logo no primeiro mês e por encurtar ainda mais o tempo dos estaduais. É o preço de uma mudança necessária no futebol brasileiro.

Baixinhas


n Calendário da CBF para 2015 mantém a Copa Verde paralela ao Parazão. Novamente, teremos excesso de jogos no período de fevereiro a maio, com o campeonato estadual, Copa Verde e Copa do Brasil. A diferença é que desta vez haverá prazo para uma pré-temporada adequada, que, no entanto, só irá prevalecer para os clubes bem planejados, que tiverem o elenco montado antes da pré-temporada. Em Belém é comum a chegada de novos jogadores às vésperas da abertura do campeonato, geralmente lançados sem a devida preparação.

n Estátua de Quarentinha fará parte da nova Curuzu, a ser reinaugurada no final de agosto ou início de setembro. A homenagem a Paulo Benedito Braga é justíssima e muito oportuna, por tratar-se do maior ídolo da história do clube e por representar dignamente todos os atletas que honraram a camisa bicolor na trajetória centenária. Melhor ainda pelo fato de o homenageado estar vivo e poder vivenciar uma emoção tão especial.

n Como se esperava, o árbitro citou em súmula a demora da Polícia Militar e da ambulância, o que retardou em 15 minutos o início do jogo Paysandu x Crac. Como mandante, o Papão é automaticamente responsabilizado para efeito de julgamento no STJD. No entanto, o clube diz ter provas documentais de que protocolou solicitações à PM e Bombeiros. Esses documentos devem isentar o clube.

n O Paysandu anuncia para hoje o pagamento da folha salarial de junho, graças ao recebimento de R$ 337 mil da cota de participação na Copa do Brasil. E se passar pelo Coritiba, quarta-feira, o clube terá mais R$ 530 mil providenciais. O faturamento com a Copa do Brasil poderia ser maior se pudesse jogar em Belém contra o Coritiba. Em Marabá não terá mais que cinco mil pagantes, com ingressos a R$ 50 e R$ 30.
n Zagueiro Régis, meia-atacante Marcinho e o atacante Alvinho terão pré-estreia no Remo, domingo, diante da Etiópia. Danilo Rios deverá reaparecer no time azulino. Roberto Fernandes falam em poupar os titulares, o que pode ser entendido como um exagero. Poderiam ser utilizados pelo menos no primeiro tempo. Além do Remo, o Brasiliense, o Gama e o Itumbiara também vão enfrentar a seleção etíope este mês.

n Bom começo de Pedro Minowa à frente das categorias de base do Remo. Antes mesmo de assumir, tratou de resgatar os diretores que renunciaram no início da semana, mostrando a intenção de somar esforços. Boa iniciativa também na investida para resgatar o goleiro Jader, que resolveu voltar para Santarém, atraído pelo Tapajós, novo clube profissional da cidade.

n Vanderson prometeu para a manhã de hoje uma resposta ao Castanhal para voltar ao clube de origem. O Japiim está com outras contratações engatilhadas para a fase preliminar do Parazão 2015. Rogério Belém vai iniciar os trabalhos como técnico interino, com espaço garantido na comissão técnica definitiva. O clube fechou negócio com a Umbro para o fornecimento de material esportivo.

n Djalma reapareceu com destaque no meio de campo no Papão, no treino de ontem. Heverton foi outro destaque, tal como ao entrar no jogo contra o Crac, demonstrando disposição para justificar o bom salário e garantir permanência no clube. Ambos entraram na segunda metade do coletivo, substituindo Rafael Tavares e Raul. Time: Douglas; Everton Silva, Charles, Fernando Lombardi (teve boa atuação), Fabinho; Augusto Recife, Zé Antônio, Rafael Tavares (Djalma), Raul (Heverton); Pikachu e Dennis.