27 de agosto, 2014 - Belém

Após 9 meses, Rodrigo Fernandes renasce no Leão


Após 9 meses, Rodrigo  Fernandes renasce no Leão

Rodrigo Fernandes está no Remo desde o início de dezembro. Passados 9 meses, sempre apagado na reserva de Alex Ruan, o lateral mineiro, de 28 anos, renasce ao conquistar a titularidade. Na boa atuação em Sobral, na vitória sobre o Guarany, ele fez por merecer a camisa 6 do Leão Azul, mesmo caso de Fabiano, que reconquistou a camisa 1. Rodrigo Fernandes veio para o Remo por conta do bom trabalho feito no Paysandu em 2012 e confirmado no Macaé/RJ em 2013. Foi humilde para esperar nove meses por uma chance, que surgiu na queda de produção de Alex Ruan. Entrou no time para uma série de jogos decisivos, como foi o de Sobral e serão os dois previstos para Cametá, contra Interporto/TO e River/PI, quando duas vitórias praticamente antecipariam a classificação do Leão Azul para a segunda fase da Série D.

Salgueiro, o adversário mais apropriado à festa

Segundo “mata mata” da Série C de 2010. Curuzu lotadaça.  Depois de empate (1 x 1) em Salgueiro, o Papão fez 1 x 0 sobre o time pernambucano logo no começo do jogo, confirmando a tendência de acesso à Série B de 2011. Aquela manhã de domingo parecia perfeita. Apenas parecia! O Salgueiro virou o placar para 3 x 1, o Paysandu ainda diminuiu e o placar se fechou em 3 x 2 para o “Carcará”, que eliminou o clube bicolor. Pois bem! Quatro anos depois daquela jornada frustrante, o Salgueiro não poderia ser adversário mais apropriado para o Papão na festa de reabertura da revitalizada Curuzu. O Salgueiro é o terceiro colocado do grupo com 19 pontos (cinco vitórias, quatro empates e três derrotas), enquanto o Paysandu é o sétimo com 13 pontos (três vitórias, quatro empates e cinco derrotas). Ganhando o jogo, sábado, o Papão completa a festa de reabertura do estádio, faz o “acerto de contas” após quatro anos, e salta para a disputa por classificação. Quanto à hipótese de perder novamente para o Salgueiro, nem pensar. Seria um estrago. Sal no chopp.

Indignados, atletas de futebol protestam no Amazonas

Quatro meses depois do encerramento do campeonato amazonense, atletas profissionais de futebol fazem “bicos” para sobreviver. É que somente Nacional e Princesa do Solimões estão em atividade. De 25 de outubro a 6 de novembro, quatro clubes (Fast, Manaus FC, Penarol e Princesa do Solimões) vão disputar a seletiva pela segunda vaga do Amazonas na Copa Verde. A outra é do Nacional. Ocorre que só poderão disputar a seletiva jogadores de até 21 anos. Em consequência, houve ontem um protesto de jogadores profissionais, que estão ganhando apoio do movimento nacional denominado Bom Senso FC. Como disse Carlinhos, líder do movimento em Manaus, “A nossa intenção é mobilizar. É fazer com que as pessoas possam ter consciência do que elas estão fazendo. O Amazonas foi sede de uma Copa do Mundo e no futebol local não ter um calendário como o estado vizinho, como é o caso do Pará que tem o calendário cheio o ano todo, não dá. Nossa mobilização é para chamar atenção para isso”. O Bom Senso FC mostra no site oficial que, por falta de um calendário mais democrático e inclusivo, a maioria dos times brasileiros joga em média apenas 17 partidas por ano. Cerca de 16 mil atletas ficam desempregados ao final dos estaduais, enquanto times da elite fazem até 85 jogos por temporada.

Para ler a coluna completa, assine O Liberal Digital!