18 de junho, 2014 - Belém

A falta de sal de Brasil 0 x 0 México pela Copa do Mundo


Jogo sem gol e Brasil sem graça

A rigor, o goleiro brasileiro fez apenas uma defesa importante, enquanto o goleiro mexicano foi a principal figura em campo. Isso dá à Seleção Brasileira o crédito da maior produtividade ofensiva, mas muito abaixo do potencial. Diante da forte marcação do México, o Brasil não teve repertório de jogadas. Foi previsível nas ações e sempre dependente de jogadas individuais, principalmente de Neymar. A pálida atuação brasileira e o empate em 0 x 0 provocam reavaliações e suscitam cobranças. A Seleção sai do conforto do “oba oba” e passa a conviver com desconfianças. Em última análise, isso pode implicar numa conduta mais realista dos atletas, da comissão técnica e dos torcedores brasileiros. A Seleção Brasileira precisava descobrir em plena Copa as suas reais carências para encontrar as soluções e crescer na competição.

Copa, as imagens que o mundo está vendo

Em todo o mundo, cerca de 3,3 bilhões de pessoas estão assistindo a Copa pela televisão. Isso é quase metade da população do planeta. E as imagens, geradas pela empresa suíça HBS, são as mesmas para as centenas de redes de TV credenciadas. Isso dá à Fifa a garantia do seu padrão, com 34 câmeras em todos os jogos, sempre dando destaque aos torcedores mais animados, especialmente os mais fantasiados, as mulheres e as crianças, passando as ideias de futebol como programa de família e de confraternização universal.

Um exemplo da importância do comando das imagens pela Fifa ocorreu no jogo Brasil x Croácia, da Copa de 2006, em Berlim. Um torcedor invadiu o gramado, foi contido pela segurança e retirado. Naqueles minutos em que o jogo ficou paralisado, a HBS mostrou torcedores em festa. O mundo nem tomou conhecimento da invasão ao gramado. A Fifa precisa do controle das imagens para levar ao mundo a espetacularização promovida nos estádios. Uma questão de conceito!

Também por garantia, a Fifa forçou o governo brasileiro a investir R$ 10,2 milhões em geradores de energia para a HBS, numa prevenção à hipótese de falta de energia elétrica das Arenas da Copa.

Para ler a coluna completa, assine O Liberal Digital!