08 de outubro, 2013 - Belém

Bicola terá de ser melhor contra o Boa para não voltar à zona de rebaixamento


Diante do Boa, Papão terá que ser melhor
          
Na beirinha do abismo (16º lugar) com apenas um ponto de vantagem sobre São Caetano, Atlético Goianiense e América de Natal, e cinco pontos acima do 'lanterna' ASA, o Papão joga hoje de coração na mão, com extrema necessidade de vencer. Ainda bem que o Boa vem de mal a pior.
         
Três semanas separam o Boa Esporte da sua última vitória na Série B: 1 x 0 sobre o ASA em Arapiraca. Nesse período, o time mineiro sofreu quatro derrotas. Em Natal, 3 x 1 para o ABC. Em casa, perdeu de 2 x 1 para o Ceará, 2 x 0 para o Figueirense e 4 x 0 para o Oeste. Assim, o Boa caiu da 7ª para a 12ª posição, estagnado nos 35 pontos, e administra uma crise. Cinco jogadores foram dispensados, entre eles o zagueiro ex-remista André Astorga e o lateral direito Leandrinho, que o Paysandu tentou trazer, mas o Boa fez o favor de levá-lo antes. Ufa!
         
O Papão, pelo menos, manteve-se fora da zona da degola nas quatro últimas rodadas, quando conquistou cinco pontos. Hoje, se vencer, o máximo que o clube bicolor (28 pontos) pode conseguir é reconquistar a 15ª posição, ocupada pelo ABC, que tem um ponto a mais (29). Se empatar, já estará fadado a descer novamente para o abismo. Por isso, convém aos bicolores secar o São Caetano (em Natal, contra o ABC), o Atlético-GO (em Goiânia, contra o Avaí) e o América-RN (em Arapiraca, contra o ASA).
 

Jaílton cotado para reaparecer
        
Quando entrou no time bicolor, lançado por Arturzinho, o meia Jaílton teve destacadas atuações, contribuindo com forte marcação e bom serviço de articulação. Mas caiu muito de rendimento e foi barrado. Exames fisiológicos mostraram que Jaílton sofreu perda de potência muscular no esforço físico que fez sem estar devidamente preparado. Agora, recuperado, torna-se uma opção muito apropriada ao plano de jogo de Wagner Benazzi para o jogo de hoje contra o Boa Esporte. Se ele entrar, deve ser no lugar de Djalma. O atacante Heliton também está cotado para reassumir a titularidade.
        
Seja qual for a escalação, o Paysandu terá que se impor pelo suor na camisa. E Wagner Benazzi deve estar batendo nessa tecla, para que a bravura seja a maior virtude do time. E precisa ser mesmo!
 
 
'Leãozinho' invicto contra o Mengo
        
A derrota para a Desportiva (3 x 2) no primeiro jogo da decisão estadual, em junho, foi a última derrota do Remo sub 20. Nos últimos quatro meses, o 'Leãozinho' construiu uma invencibilidade de 9 jogos, com sete vitórias (sobre Desportiva, Baré/RR, Holanda/AM, Ananindeua, Holanda/AM novamente, Vitória/BA e Flamengo/RJ) e dois empates (Santos/AP e Vitória/BA). Hoje, esse time que vem empolgando a nação azulina pode eliminar o 'Menguinho' da Copa do Brasil sub 20 até com derrota por 2 x 0 ou por diferença de três gols desde que faça algum, ou ainda nos pênaltis, caso perca por 3 x 0.
        
Se a missão não é nada fácil para o Remo, é mais difícil para o Flamengo. Afinal, se tomar um gol, terá que fazer cinco. Se tomar dois, terá que fazer seis. O time rubro-negro terá que se atirar ao ataque, diante de um Remo que já provou ter consistência defensiva e boa capacidade ao contra-atacar. O time azulino tem feito por merecer a confiança dos seus torcedores. Vai ser uma noite de fortes emoções.