03 de outubro, 2013 - Belém

Antes reserva, Heliton barrou ídolo e artilheiro do Parazão


Como Heliton barrou Iarley e Aleílson?
        
De tão mal aproveitado no Papão, o atacante curuçaense Heliton, 24 anos, 1,66m., esteve perto de ser emprestado ao Águia. Começou a ganhar espaço com Arturzinho e está se firmando como titular no time de Wagner Benazzi. Como Heliton está barrando o ídolo bicolor Iarley e o artilheiro paraense da temporada Aleílson? A resposta é simples. Pela capacidade de cumprir uma função tática fundamental para o time na marcação, Heliton praticamente se transforma num segundo lateral esquerdo quando o adversário ataca pelo seu setor. Trabalhou muito nessa função contra o Guaratinguetá, acompanhando os freqüentes avanços do excelente lateral Eduardo Arroz. Heliton pela esquerda e Djalma pela direita fazem o mesmo trabalho tático determinado por Wagner Benazzi, dando consistência a todo o sistema de marcação. No entanto, Heliton tem sido mais exigido nessa função.
        
Estudos mostram que a média de posse de bola por jogador no futebol é de um minuto ao longo de um jogo inteiro. No entanto, o futebol exige participação intensa em todos os momentos na marcação. É nisso que Heliton (13 jogos nesta Série B) supera Iarley, Aleílson e demais concorrentes para merecer a preferência de Benazzi.
      
       
Antidoping: resultado favorável a atleta do Papão  
       
Médico Fernando Solera, presidente da Comissão de Antidoping da CBF, confirmou ao Paysandu que deu negativa a contraprova do jogador Diego Barboza, avaliada na Colômbia. O caso chegou à Fifa, que exigiu um terceiro exame, agora no Canadá. O material da nova contraprova já está no laboratório canadense. Enquanto isso, o jogador está suspenso pela Confederação Brasileira de Futebol, impedido de defender o Papão na Série B.
       
O inferno astral de Diego Barboza começou no dia 13 de agosto, no jogo Oeste 1 x 0 Paysandu, em Itápolis. Sorteado para o antidoping, ele submeteu ao exame que acusou uso de substância ilegal. Já são quase dois meses de suspensão. O núcleo jurídico do Paysandu já está agindo solicitando a liberação do atleta para voltar a jogar, com base no resultado que chegou da Colômbia, enquanto não chega a resposta do Canadá. O laboratório brasileiro que fez o primeiro exame já está descredenciado pela CBF para exames antidoping.
       
Diego Barboza, natural de Jundiaí/SP, 24 anos, está no Papão emprestado pelo Bragantino/SP. Começou a carreira no Paulista de Jundiaí e jogou também Coruripe/AL, Guarani/SP, ABC/RN e Vila Nova/GO. Tem 9 jogos com a camisa bicolor neste campeonato brasileiro.   
 
 
Remo: mais um desgaste por inconseqüência
       
Como a coluna divulgou ontem, o que o Remo conseguiu na Justiça do Trabalho foi a intermediação do corregedor Marcos Maia para uma nova negociação com o juiz Jorge Vieira, da 13ª vara, que havia determinado leilão da área do Carrossel e bloqueio de parte da renda do jogo sub 20 contra o Flamengo. No entanto, o clube cometeu a inconseqüência de anunciar o cancelamento das duas medidas do juiz, ao propor pagamento mensal de R$ 80 mil à Justiça. Atitude irresponsável! Felizmente, a coluna não caiu nessa.
       
Já com mais um desgaste no TRT, o clube tratou ontem mesmo de desmentir a falsa informação que havia “plantado”, provavelmente numa manobra para manter o ânimo da torcida, na expectativa de boa renda no jogo da Copa do Brasil sub 20. O leilão está mantido para 25 de outubro e os advogados remistas trabalham para impedir o evento.