24 de julho, 2013 - Belém

Furacão e Papão decidem hoje para mostrar serviço à torcida


Atlético/PR x Paysandu, duelo de inconfiáveis

Pelo que não vêm conseguindo produzir, Atlético Paranaense e Paysandu provocam a mesma desconfiança nos seus próprios torcedores. É assim, como inconfiáveis, que os dois times se enfrentam hoje em Curitiba. A diferença é que o time atleticano está em casa, sob cobrança direta dos torcedores, com maiores obrigações, mas também com melhores credenciais para a vitória. Ao Papão cabe aliar bravura com inteligência para resistir à pressão e para tirar proveito das vulnerabilidades do adversário. O frio, em torno de 3 graus, deve ser um embaraço a mais para os bicolores. O Atlético Paranaense faz boa campanha na Copa do Brasil, mas tem números vergonhosos no campeonato brasileiro (Serie A), com apenas uma vitória em oito jogos, além de quatro empates e três derrotas, em posição de rebaixamento.

O jogo, que será transmitido ao vivo pelo Sportv 2, vai mostrar à torcida atleticana a influência dos primeiros trabalhos do técnico Vagner Mancini, e à torcida do Paysandu que poder de reação pode esperar do time bicolor. Afinal, diferente da Série B, o jogo de hoje é uma decisão de vaga. Quem hoje, numa decisão, não mostrar comprometimento com a causa imediata do clube, seguramente não está comprometido com os objetivos traçados no campeonato da Série B.


Classificação vale cota de R$ 500 mil

A Copa do Brasil já rendeu ao Paysandu mais de R$ 1 milhão (R$ 700 mil de cotas de participação e mais R$ 390 mil de bilheteria). Se passar pelo Atlético Paranaense, hoje, o Papão garante mais R$ 500 mil pela participação na quarta fase e a bilheteria do jogo de Belém. Não há definição prévia do adversário do Paysandu ou do Atlético-PR porque depende da composição a ser feita pela CBF com a entrada dos clubes brasileiros eliminados da Copa Libertadores. 


Aleílson, maior goleador de 2013 no Pará

Com 13 gols no campeonato estadual e 4 na Série D, pelo Paragominas, Aleílson é o principal artilheiro do futebol paraense na temporada. Seu maior concorrente era Rafael Oliveira, que transferiu-se para a Acadêmica de Portugal depois de marcar 15 gols para o Papão (12 no Parazão, 2 na Série B e 1 na Copa do Brasil). O terceiro goleador do ano é   João Neto (Paysandu), com 11 gols, o quarto é Danilo Galvão (Águia) com 10 gols, e o quinto é Val Barreto (Remo) com 9 gols.

Na artilharia do futebol paraense, Careca (Paysandu) tem apenas 3 gols. No entanto, ele é o maior goleador do Brasil em 2013 com 22 gols, liderando a disputa pelo Troféu Friedenreich, premiação da Rede Globo. Careca já veio com os 19 marcados pelo Cene no campeonato sul-matogrossense. O segundo maior goleador do país na temporada é Rafael Costa (Figueirense) com 20; Alex (Coritiba), Giancarlo (Vitória-BA/Ferroviário-CE) e William (Ponte Preta) têm 19; Assisinho (Fortaleza), Elton (Náutico) e Rodrigo Silva (ABC) têm 18; Aleílson (Paragominas), David Dener (Desportiva-ES), Leandro Kivel (Sergipe/River Plate-SE) e Magno Alves (Ceará) estão com 17 gols.

O Prêmio Friedenreich já teve cinco edições. Os ganhadores foram: Keirrison (Coritiba) em 2008 com 41 gols; Diego Tardelli (Atlético/MG) em 2009 com 39; Jonas (Grêmio) em 2010 com 42; Leandro Damião (Inter/RS) em 2011 com 38; Neymar (Santos) em 2012 com 43 gols.