31 de agosto, 2012 - Belém

Enfim, o Remo parece ter trazido mesmo reforços


Finalmente, reforços de verdade no Leão
        
Andrezinho foi o melhor, Rudiero saiu-se bem e Rafael Andrade razoável. Três boas estréias no time do também estreante Marcelo Veiga, na vitória sobre o Vilhena. Bom saldo, depois que tantos 'bondes' que o Leão já contratou para esta temporada. Andrezinho só precisou de cinco dias para se ambientar e jogar à vontade. Mostrou pleno conhecimento da função de ala, completando o meio de campo sempre que a bola foi pro lado oposto e bom trabalho ofensivo, com acerto nos cruzamentos. Um bom jogador! Deve suprir uma antiga carência azulina. Rafael Andrade começou tenso, inseguro, mas cresceu e causou boa impressão. Rudiero confirmou no jogo a capacidade mostrada nos treinos. Um volante que joga de cabeça erguida. Bom iniciador de jogadas.
        
Boa impressão dos estreantes, mas não do time. Inseguros, os remistas abusam dos erros de passe. A bola parece queimar nos pés da maioria, embora seja um time experiente. Para superar o Mixto no 'mata mata' o time azulino terá que ser muito valente, muito atento, dentro da organização que Marcelo Veiga puder proporcionar. Mas a bravura dos atletas é flagrante. O time mostra-se determinado a avançar no  campeonato. Tão determinado que se atrapalha na ansiedade.                            
                                     
Givanildo dá celeridade ao Papão

Ao trocar Alex William por Helinton, recuando Thiago Potiguar para o meio de campo, Givanildo Oliveira deu mais dinâmica ofensiva ao Papão. O time já tinha a capacidade ofensiva do volante Leandrinho, a cadência de Harisson e a força de Rafael Oliveira. Passa a explorar melhor a intensidade de Thiago Potiguar, com maior participação, e a habilidade de Helinton pelos lados do campo.Todas essas características somadas à ofensividade de Yago Pikachu devem resultar em bom aproveitamento da posse de bola. A questão é como esse time vai funcionar na marcação. Helinton e Rafael Oliveira são mais combativos que Harisson e Thiago Potiguar.  A dupla de ataque terá que ser efetiva na primeira marcação. O bom time do Luverdense vai exigir muito dos bicolores.
 
                                
Prioridade para os mais comprometidos
       
A troca de Pablo por Régis parece ter dois objetivos: o fortalecimento do bloco defensivo, com um jogador que não deverá passar do meio de campo, e mais comprometimento com a causa do clube. Não deve ser por acaso que o time está com oito paraenses (Yago, Thiago Costa, Pablo, Vânderson, Leandrinho, Harisson, Helinton e Rafael Oliveira), além do catarinense Pablo, do paulista Fábio Sanches e do potiguar Thiago. Numa circunstância de insatisfação por atraso de salário e pressão (dos torcedores), priorizar os mais comprometidos com o clube pode fazer a diferença entre sucesso e fracasso num jogo dificílimo, domingo, em Lucas do Rio Verde.

 

Para ler a coluna completa, assine O Liberal Digital!