02 de agosto, 2012 - Belém

Este é o Leão mais velho da história do clube


Time atual é o mais velho que o Remo já teve
        
O Remo está no seu 29º campeonato brasileiro. Já fez 682 jogos. Em toda essa rodagem, o time atual é o mais velho, com sete 'trintões' e média de idade acima de 30 anos: Gustavo (23); Dida (33), Avalos (34), Diego Barros (30 - completa dia 3 de setembro), Aldivan (36); André (29), Jhonatan (20), Edu Chiquita (34), Reis (19); Ratinho (32) e Fábio Oliveira (38). Ainda bem que esse time faz apenas um jogo por semana.
        
O segundo time mais envelhecido que o Remo já teve no campeonato brasileiro foi o de 1993, com Belterra, Agnaldo, Biro Biro, Edson Boaro e Mauricinho. Mas havia qualidade e o Leão fez sucesso, sendo 8º da 1ª divisão. O time atual, além de velho, erra cerca de 40 passes por jogo. Por isso, tem sido travado e tomado tantos gols de contra-ataque. 
 
 
Um tapete que voou
       
Comentário do leitor Diogo Carlos Luz da Silva (diogotorcedor@gmail.com): “Fui ao Mangueirão assistir ao jogo do Paysandu na noite dessa segunda-feira e fiquei decepcionado, não só com o time bicolor, mas com o estado do gramado do estádio olímpico. Aquele que outrora era cantado em prosa e verso como um 'tapete', um dos melhores gramados do Brasil, perfeito para qualquer peleja, como diria meu avô, está horrível! Outro dia ouvi o Davino dizer que o da Curuzu estava melhor do que o do Mangueirão, não acreditei. Mas constatei a veracidade da informação”.
        
A intrigante má aparência do gramado do Mangueirão foi explicada pelo engenheiro agrônomo Mesquita. Ele disse à coluna que houve ampla aplicação de produto químico para combater paquinhas que atacavam as raízes da grama. A parte mais amarelada é grama transferida, ainda em adaptação. Está programada uma troca urgente de parte da grama. E para o final do ano uma reforma completa do gramado.
                             
 
Depoimento sobre a Copa dos Campeões
       
Na série de depoimentos sobre a glória do Paysandu na Copa dos Campeões, que completa 10 anos no sábado, hoje é dia do torcedor Alexandre Augusto Pires: 'Tenho o orgulho e a felicidade de lembrar que fui um dos milhares de felizardos que tiveram a oportunidade de presenciar das arquibancadas do Castelão este grandioso feito. É muito bom lhe perguntarem se você foi àquele jogo e eu responder que sim. Nós, felizardos, antes olhados como loucos, e agora somos olhados como uma parte daquele título, já que estivemos presentes. Lembrando que fizemos da orla da praia de Iracema uma verdadeira Doca de Souza Franco. Milhares de torcedores bicolores literalmente interditaram aquela famosa avenida litorânea para comemorar. Foi muito bom; inesquecível'.
        
Envie sua história para ferreiraliberal@yahoo.com.br.

 

Para ler a coluna completa, assine O Liberal Digital!