17 de julho, 2012 - Belém

Dúvidas e mistério no amistoso entre Remo e River Plate


Remo x River Plate, jogo cercado de interrogações
    

O que esperar do jovem time uruguaio do River Plate? O que esperar do inconfiável time do Remo? Essas e outras interrogações cercam o amistoso internacional de hoje. É um evento caro que dificilmente irá se pagar, mas que faz parte de um projeto maior da empresa Granada, de São Paulo, que está investindo numa parceria com o Leão Azul. O projeto envolve o marketing do clube, exploração do Baenão como arena de shows e o futebol, na entrada e saída de jogadores.       

 

No marketing, o alvo maior é o programa Sócio Torcedor, fracassado na parceria com a Nação Azul, empresa que fatura 12,5% das rendas líquidas (bilheteria) e proporciona quase nada. O Remo tem cerca de 400 sócios torcedores pagando as mensalidades. Uma renda consumida pelos custos. Essa parceria deficitária está garantida em contrato até 2016. Para rescindi-lo, o Remo terá que pagar multa de R$ 100 mil. Se a Granada virar parceira do clube azulino, deverá ter prioridade sobre as revelações remistas para compra de 50% (no mínimo!) dos direitos econômicos, passando a gerir a carreira desses atletas. A empresa também colocaria jogadores no Baenão nas mesmas condições de sociedade.
     

O amistoso Remo x River Plate, com Marcelinho Carioca atuando um período pelo Leão, é somente o primeiro de vários negócios engatilhados entre Remo (presidente Sérgio Cabeça) e Granada (empresário Márcio Granada), com participação de Ronaldão, ex-zagueiro que marcou época no São Paulo e serviu também à Seleção Brasileira. A empresa deverá fazer investimento imediato na atual campanha pela ascensão do Remo à Série C. O anúncio solene está prometido para hoje, às 10 horas, em coquetel.      
        
 
 
            
Remo faz hoje o 75º jogo internacional
     

Em 99 anos de futebol, o Remo já fez 4.075 jogos. 74 foram internacionais, como o de hoje. Dados do pesquisador Orlando Ruffeil, levantados para esta coluna, mostram bom desempenho do Leão, com 44 vitórias, 19 empates e 11 derrotas. 170 gols marcados e 66 tomados.
     

O primeiro amistoso internacional do Remo foi em 1940. Vitória por 2 x 1 sobre o Marimburg, do Suriname. A vitória mais folgada foi em 1945, com goleada de 21 x 0 sobre um time amador francês de Marselha, que passava de navio por Belém. O jogo mais importante foi em 1968, contra o Benfica de Portugal, então campeão europeu, com Eusébio e companhia. Empate em 1 x 1, gols de Amoroso (Remo) e Torres (Benfica).
      

Nos 73 jogos internacionais, o Leão Azul enfrentou 13 clubes do Suriname, 8 da Venezuela, 4 da Holanda, 3 da Guiana Francesa, 2 da França, 2 de Portugal, 1 da Iuguslávia, 1 do Paraguai e 1 do Uruguai, além de seleções de Bucareste/Romênia, Suriname e Caiena. A competição mais importante fora do Brasil foi o torneio de Toulon, na França, em 1994. O Remo foi vice-campeão.  


 
             
Papão desiste de uma e mantém outra parceria
     

O Paysandu costurou toda a negociação de parceria com a LA Sports, empresa de Curitiba, mas recuou. O negócio era de sociedade na exposição e venda de jogadores, revelados pelo clube ou colocados na Curuzu pela empresa. Houve receio e a necessidade de um tempo maior para melhor avaliação. Outra parceria, muito mais festiva, está mantida com a RC3, do jogador Roberto Carlos. No entanto, sem frutos até agora. A RC3 está expondo a marca do Paysandu no mercado, em busca de investidores, mas sem nada de prático por enquanto. O próprio Roberto Carlos, que joga no futebol russo, está se empenhando na missão assumida pela RC3 de projetar o Papão. 
                
 
                  

Flávio Lopes estreia hoje no Ipatinga
     

Técnico Flávio Lopes, ex-Remo, estreia hoje no Ipatinga, em jogo contra o Joinville, em Santa Catarina, pela Série B. Está com ele o auxiliar Márcio Pereira, também ex-azulino. Os dois começaram a trabalhar domingo no Ipatinga, depois da demissão de Mazola Júnior. O atacante Moisés, ex-Paysandu, recuperou-se de cirurgia no joelho e vai ser uma das próximas opções de Flavio Lopes no clube mineiro. 

 

 

Para ler a coluna completa, assine O Liberal Digital!