03 de julho, 2012 - Belém

Após a euforia, chega o momento do equilíbrio no Leão


 

Leão: agora é a hora do equilíbrio
    

Superada a fase da desconfiança geral, o Remo está reanimado para recuperar a confiança. Para botar a casa em ordem, precisa vencer o Náutico em Roraima, domingo. Aí, sim...! A torcida estará desarmada, pronta para carregar o time a partir da quarta rodada, quando o Leão receberá o Atlético Acreano. Jogo para o Mangueirão, se prevalecer a vontade de Édson Gaúcho. O que também precisa prevalecer no Remo é a harmonia. Édson Gaúcho já 'espalhou brasa' no Baenão. Já mostrou toda a sua autoridade. No grito, puxou todos para a palma da mão. Agora precisa mostrar sua capacidade de liderança agindo com habilidade para manter o controle e a conduta profissional dos comandados.  
 
 
 
         
Aproveitamentos dos reforços: Leão 46%, Papão 65%     


A relação entre a quantidade de jogadores contratados e a quantidade de jogadores dispensados, até agora, dá a medida do aproveitamento na temporada. No Remo, restam 17 dos 37 jogadores recebidos para esta temporada. O aproveitamento é de 46%. No Paysandu, restam 64%, ou seja, 19 dos 28 jogadores recebidos. No Águia o índice se eleva a 84%. Restam no clube marabaense 9 dos 12 contratados para o campeonato estadual.     


O Remo mantém no elenco Adriano, Jamilton, Edinho, André, Aldivan, Edu Chiquita, Cassiano, Fábio Oliveira, Joãozinho, Avalos, Paulinho, Dida (lateral), Ratinho, Marcelo Maciel, Márcio Tinga, Léo Medeiros e Mendes. Saíram: Rodrigo Ayres,  Marciano, Bruno Oliveira, Chistian Fernandes, Balu, Panda, Alexandre, Felipe Baiano, Juliano, Franklin, Dida (goleiro), Cássio, Jean, Deivisson, Betinho, Magnum, Juan Sosa, Santiago, Márcio Pinguim, Adenísio. O Paysandu mantém no elenco Leleu (por força de contrato), Leandrinho, Harisson, Paulo Rafael, Jairinho, Guina, Dalton, Paulo Wanzeler, Régis, Fábio Sanches, Marcus Vinícius, Adson, Fabinho, Ricardo Capanema, Lineker, Alex Williams, Kiros, Welthon, além de Ronaldo, que virou treinador de goleiros. Saíram: Da Silva, Douglas, Darlan, Joaelton, Almir Júnior, Kariri, Gustavo, Adriano Magrão, Sidrailson. O Águia, bem diferente de Leão e Papão, dispensou apenas três (Sató, Júlio Ferrari e Miro) dos 18 contratados, mantendo no elenco Diego Biro, Branco, Valdanes, Alexandre Carioca, Léo Rosas, Mocajuba, Diogo, Wando, Marquinhos, Ivonaldo, Juliano, Carlão, Marcelo Cruz, Pery e Stanley.
       

Juntos, Remo e Paysandu receberam para esta temporada 65 jogadores e já liberaram 28. Ambos estão com o terceiro técnico, mas no Papão Roberval Davino é o primeiro importado, antecedido por Nad e Lecheva, que são funcionários do clube. Além dele, foram contratados o auxiliar Ricardo Oliveira e o preparador físico Ricardo Monteiro. O Leão está com o terceiro técnico, terceiro auxiliar-técnico, quarto preparador físico, segundo treinador de goleiros e o fisiologista, único mantido dos contratados para a primeira comissão.
 
 


Cassiano e Leandrinho, os guerreiros de Leão e Papão
      

Cassiano, 22 anos, mineiro, ex-cortador de cana (na adolescência), que só está no futebol por muita persistência. Leandrinho, 29 anos, paraense de São Caetano de Odivelas, virou profissional aos 17 anos (no Tiradentes), teve todas as condições para deslanchar no futebol e hoje reconhece que perdeu tempo e dinheiro por falta de responsabilidade.
       

Cassiano é um guerreiro no time remista, movido pela ambição de conquistar o que nunca teve. Leandrinho é um guerreiro no time bicolor, movido pela ambição de reconquistar no fim da carreira o que desperdiçou. São duas histórias distintas e a mesma superação em campo. Jogadores admiráveis pela forma como se doam ao trabalho, exemplos de suor na camisa.
 
 
                       

Craque do Chelsea esteve em Belém
     

Acompanhado da esposa e do filho, Florent Malouda, atacante do Chelsea e da seleção francesa, esteve em Belém, de passagem. Hospedou-se no Crowne Plaza, de onde saiu ontem. Provavelmente, Malouda viajava rumo a Caiena, sua terra natal, de férias, depois de defender a França na Eurocopa, tendo jogado até 23 de junho, quando sua seleção foi eliminada pela Espanha.
     

Malouda, 32 anos, foi jogador de rua em Caiena (Guiana Francesa), na adolescência, quando foi descoberto por olheiros do Châteauroux, clube francês que logo o levou para Paris. Jogou também pelo Guingamp e pelo Lyon, antes de chegar ao Chelsea, onde formou o ataque com Didier Drogba. Pela seleção francesa tem 64 jogos e cinco gols, segundo o site wikipedia. 

 

 

Para ler a coluna completa, assine O Liberal Digital!