13 de junho, 2012 - Belém

Hoje tem reunião na CBF! Promessa de mais acordos no Brasileirão


 

CBF: um encontro para encerrar os desencontros      


Quando a CBF chama os litigantes Treze/PE, Brasil de Pelotas/RS, Araguaina/TO e Rio Branco/AC para uma conversa, hoje à tarde, passa a ideia de que vai propor um acordo para encerrar a novela judicial que impede o início das Séries C e D. Se a intenção for mesmo fazer acordo, será muito importante para o futebol que não resulte na inclusão do Treze e do Brasil na Série C, como pleiteiam. Isso significaria um precedente perigosíssimo para o futebol brasileiro. Encorajaria os demais clubes a também recorrer à Justiça Comum lá na frente. O que está acontecendo este ano já é consequência do acordo feito ano passado com o Rio Branco para desamarrar a Série C de 2011.      


Como os demais clubes também estão convidados para reunião hoje à tarde na CBF, fica no ar a expectativa de um desenrosco. Especula-se inclusive a possibilidade de unificação das Séries C e D para a disputa do acesso à Série B. No cenário atual não dá para duvidar de nenhuma possibilidade. Mas seja qual for a decisão a ser tomada hoje, a bola ainda não deve rolar no próximo fim de semana. Talvez nos próximos dias 23 e 24. As Séries C e D estão atrasadas há 17 dias, suspensas por decisão do STJD, enquanto as questões rolam na Justiça Comum. A OAB cearense entrou em cena, ontem, com a bandeira da suspensão das Séries A e B por entender que são afetadas no sistema de acesso e rebaixamento. É mais pimenta no angu.                        

 


Remo pode dobrar receita de patrocínios em 2013      


Atualmente, o Remo fatura R$ 210 mil mensais em patrocínios. Além dos prováveis reajustes, pode acrescentar mais R$ 200 mil se fechar negócio com a gigante Netshoes, comércio de material esportivo pela Internet. A marca da Netshoes já deveria estar estampada nas mangas das camisas azulinas. Não deu certo porque as mangas já são da Yamada, que está em outros dois espaços nas camisas remistas e paga R$ 89 mil. A Yamada não abriu mão e o contrato terá que ser cumprido até dezembro, quando será rediscutido. A Netshoes foi colocada na vida do Remo pela Umbro, multinacional que veste o Leão Azul. É provável que o Remo não confirme essas informações para preservar a ética no mercado. Mas o colunista assegura que são verdadeiras.                              

 


Thiago Costa, bom de barreiras      


Futebol simples, vigoroso, seguro. Thiago Costa, 19 anos, é titular da zaga do Paysandu desde a primeira oportunidade que teve, em Santarém, na derrota para o São Francisco, na segunda rodada, quando substituiu Nenê Apeú após a expulsão de Darlan. É titular desde o jogo seguinte, contra a Tuna, que o Papão ganhou por 2 x 1. O jovem zagueiro fez o gol da vitória. Thiago Costa está no time há 21 jogos. Já compôs dupla com Douglas, Da Silva e Pablo no Parazão e na Copa do Brasil. Agora, no time de Roberval Davino para a Série C, compõe trio com Marcus Vinícius e Fábio Sanches.     


Humilde, tranqüilo, comunicativo, Thiago Costa é um jogador totalmente focado no futebol, com a conduta de quem investe no futuro da família. Tornou-se jogador depois de um estágio no atletismo. Praticava corrida com barreiras. Aprendeu cedo,nas pistas, a conviver com as barreiras da vida em qualquer setor, inclusive no futebol. Das revelações do Papão na temporada é o nome menos badalado, mas com a competência reconhecida pelos três técnicos (Nad, Lacheva e Davino) que o mantiveram titular. Uma conquista do próprio atleta, com a segurança que transmite aos colegas e aos comandantes.                              

 

 

Adriano Magrão desempregado      


Foi simples e rápido o desenlace de Adriano Magrão com o Paysandu. O atleta poderia já estar trabalhando no Remo, se ele próprio não tivesse criado embaraços. Um alívio para quem não queria vê-lo no Baenão, depois de suas fracassadas passagens pelo Papão e pelo Bonsucesso este ano. Antes já havia fracassado no América de Natal.       


Todo ano o futebol do Pará tem o fracasso de pelo menos um jogador renomado importado por Remo ou Paysandu. Alguns dos últimos foram Fábio Baiano, Marcelo Ramos, Finazzi e Josiel. Nenhum, porém, despertou o interesse de outro clube para permanecer em Belém, como ocorreu incrivelmente com Adriano Magrão.

 

 

Para ler a coluna completa, assine O Liberal Digital!