11 de junho, 2012 - Belém

Time mais preparado física e taticamente levou o Re-Pa


 

Re-Pa: vitória maiúscula do time mais preparado       


A maiúscula vitória bicolor (3 x 0) dá ares de paraíso à Curuzu. É muito justo! O Papão mostrou organização tática, jogando da forma que Roberval Davino anunciou. Foi compacto e teve razoável dinâmica. Em todos os aspectos, o Papão mostrou-se num estágio bem mais avançado de preparação. Por isso, foi tão superior que fez do goleiro Adriano a principal peça remista, enquanto Paulo Rafael fez uma única defesa, aos 41 minutos do segundo tempo.        


É natural que o Paysandu capitalize os efeitos da vitória. Mas não seria inteligente da parte do Remo condenar quem quer que seja pela derrota. O time azulino 'travou' fisicamente na metade do segundo tempo, numa reação própria de quem ainda trabalha a musculatura no desenvolvimento de força, sofrendo prejuízo na velocidade. E esses efeitos apareceram principalmente no setor defensivo. Tudo isso com o agravante da falta de consistência tática. O Re-Pa mostrou o Leão na fase básica da obra de Flávio Lopes e o Papão já nos ajustes da obra de Roberval Davino.                               

 


Helinton, de um extremo ao outro       


Uma semana depois de ser preterido no jogo-treino contra o Time Negra, a ponto de ser disponibilizado para jogar pelo próprio Time Negra, Helinton saiu do Re-Pa festejado como 'herói'. A entrada dele no lugar de Kiros foi determinante para a velocidade com que o Papão atropelou o Leão. Helinton é produto de uma sociedade entre os dois clubes. O Paysandu é dono de 70% e o Remo tem 30% dos direitos econômicos.                               

 


Séries C e D: próximos passos da batalha judicial       


A concentração de todas as questões num mesmo juízo é a busca da CBF e dos clubes das Séries C e D, na batalha judicial contra os 'furões' Brasil/RS e Treze/PB, além do Araguaina/TO, que lutam pelas vagas do Santo André/SP e do Rio Branco/AC.        


No STJ, semana passada, os rebeldes levaram a melhor sobre os aliados. Foi mantida a liminar do Brasil de Pelotas. Os aliados, sob liderança da CBF, focam no que chamam de 'incidente de conflito de competência', em que cada juízo regional tem uma visão, e lutam pela concentração das questões no fórum de Jacarepaguá, no Rio de Janeiro. Se houver êxito nesse pleito, haverá possibilidade maior de êxito na busca de sinal verde para os dois campeonatos, cujo início está impedido há 18 dias.

 

 

Para ler a coluna completa, assine O Liberal Digital!