26 de agosto, 2011 - Belém

Torcedor paraense terá juizado especial em Belém


 

Belém terá juizado especial do torcedor       


Ainda este ano será instalado em Belém o juizado especial do torcedor, que irá julgar torcedores infratores logo nos estádios, como já acontece em cidades como São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba, Porto Alegre, Belo Horizonte e Recife.        


Em junho, no jogo Coritiba x Vasco, decisão da Copa do Brasil, por exemplo, um torcedor do clube paranaense foi flagrado com uma caneta de laser, tentativa de atrapalhar o goleiro vascaíno. Julgado ainda no estádio, foi condenado a cumprir 16 horas de serviços à comunidade, sempre nos finais de semana, durante jogos do Coritiba. Esse tipo de punição deverá ser aplicado a torcedores no Pará a partir de 2012. Assim, finalmente o Estatuto do Torcedor será aplicado contra os torcedores paraenses, tão habituados à impunidade.        


Criado há 8 anos, o Estatuto do Torcedor jamais resultou em qualquer condenação no Pará. No período, centenas de torcedores foram detidos nos estádios ou às proximidades e liberados pela Polícia sem registro de ocorrência. E os poucos casos que foram registrados tiveram processo engavetado. Essa história vai mudar a partir de 2012, com a chegada do juizado especial do torcedor.                           

 


Papão deve quebrar recorde na Série C      


O jogo de maior público na atual Série C foi Paysandu 1 x 1 Rio Branco, no Mangueirão: 12.181 pagantes. Tudo indica que a torcida bicolor vai quebrar o seu próprio recorde no campeonato, domingo, no jogo contra o Luverdense.      


Por enquanto, a procura por ingressos é lenta. Deve se intensificar a partir de hoje, principalmente se for descartada a transmissão do jogo pela TV Cultura. Ontem a emissora formalizou sua proposta ao Luverdense e aguarda a resposta, mas pelo dizem as duas partes o acordo é improvável.          Arquibancada está custando 20 reais, cadeiras 40 e 50 reais.  
                     

 

Preço diferenciado para arquibancadas de fundos
       

Para o jogo Brasil x Argentina, a CBF planeja a cobrança de valores diferenciados para cadeiras centrais e laterais, como é comum no Mangueirão e até na Curuzu. É coerente! Mas se esse conceito vale para cadeiras, por que não para as arquibancadas do Mangueirão também?       


O estádio já tem divisórias que isolam os espaços de arquibancadas de fundos, cujo ângulo de visão é inferior. Por isso, deveriam ter preço também inferior ao que é cobrado pelas arquibancadas laterais. Num jogo caro como será a da Seleção Brasileira, as arquibancadas de fundos podem dar um meio termo nos preços, já que os estudos estão indicando preço único de arquibancada entre 70 e 100 reais. Ontem fiz essa ponderação numa conversa com o vice-presidente da FPF, José Ângelo Miranda, que ficou de repassar a ideia ao presidente Antônio Carlos Nunes para repasse à CBF.      


Para fazer funcionar essa nova categoria de ingresso, basta que sejam instaladas catracas nas áreas dos fundos, ao lado da rampa. Nenhuma dificuldade operacional nisso. Basta querer!                        

 


Homenagem ao paraense Wando em Goiânia      


Contra o Vitória/BA, na próxima terça-feira, o paraense Wando deverá fazer o seu 300º jogo pelo Vila Nova/GO e receberá homenagem. O atacante está recuperando-se de uma lesão e ainda é dúvida. Wando está na quarta passagem pelo Vila Nova. Jogou pelo alvirrubro goiano também de 2001 a 2003, em 2005 e em 2009. Wando é natural de Tucuruí, tem 31 anos e disputou o Campeonato Paraense de 2010 pelo Águia de Marabá com destacadas atuações.        


A homenagem que Wando vai receber em Goiânia jamais receberia jogando no futebol paraense. Nossos clubes não têm controle de dados estatísticos. Quem sabe, por exemplo, quantos jogos Zé Augusto já fez em 15 anos no Paysandu? O atacante ganhou uma plaqueta ao fazer o 100º gol com a camisa bicolor num amistoso em Juruti, em 2009, graças ao historiador Ferreira da Costa. O goleiro Adriano foi homenageado pelo Remo ao fazer o 100º jogo com a camisa remista, em 2008, depois que ele mesmo chamou atenção para a marca. Este ano, Mendes marcou o gol 8 mil da história do Paysandu, na vitória sobre o Penarol, no Amazonas, conforme dados do historiador Ferreira da Costa. O gol histórico só foi lembrado por insistência desta coluna. O goleiro Alexandre Favaro quer saber quantos jogos já fez pelo Paysandu e não há levantamento algum. Sandro já buscou a mesma resposta, em vão.           


A próxima marca histórica está engatilhada para o Paysandu, que vai completar 699 jogos de Campeonato Brasileiro ao enfrentar o Araguaina na última rodada desta fase, dia 18 de setembro. Classificando-se, o Papão terá oportunidade de comemorar seu jogo 700 ao estrear na segunda fase. Remo está a quatro gols de uma marca histórica: o seu gol 900 pelo Campeonato Brasileiro.

 

 

Para ler a coluna completa, assine O Liberal Digital!