14 de julho, 2011 - Belém

Séries C e D sofrem mudanças nos formatos de disputa


 

Fim do “mata mata” na decisão do acesso      


Novo regulamento na Série C. A decisão do acesso (à Série B), que nos dois últimos anos frustrou a torcida do Paysandu nas derrotas para Icasa/CE e Salgueiro/PE, agora vai ser em quadrangular. Um sistema que permite deslizes e recuperação, geralmente fazendo prevalecer os times mais cotados.      


Os dois primeiros colocados do grupo A (Paysandu, Águia, Rio Branco/AC, Araguaina/TO e Luverdense/MT) vão enfrentar na segunda fase os dois primeiros do grupo B (América/RN, Campinense/PB, CRB/AL, Fortaleza/CE e Guarany de Sobral/CE). Os dois primeiros colocados dos dois quadrangulares da segunda fase já estarão promovidos à Série B de 2012. Os campeões dos dois grupos decidirão o título do campeonato.           


A Série D também tem mudança no formato de disputa, mas, ao contrário da Série C, mantém o “mata mata” na decisão do acesso. Agora a primeira fase tem 8 grupos de 5 clubes, cada. E eliminatórias simples a partir da segunda fase. Mas acabou a repescagem que classificava os três melhores perdedores da segunda para a terceira fase. O terceiro “mata mata” já será do acesso à Série C de 2012.                            

 


Independente, 17º representante do Pará     


Campeão estadual de 2011, o Independente/Tucuruí é o 17º clube paraense a disputar o Campeonato Brasileiro, entrando numa história iniciada pelo Remo em 1971. A estréia será em Macapá, domingo, 17 horas, contra o Trem, que está com a base do time do Cametá, principal rival do Independente. No Trem, são ex-Cametá o técnico Fran Costa e os jogadores Américo, Tonhão, Rubran, Mocajuba, Romeu, Leandrinho e Cassiano.       


Para a Série D, o Galo Elétrico tem uma nova comissão técnica, com o treinador Charles Guerreiro, o auxiliar Nildo Pereira, o preparador físico Robson Arlei e o preparador de goleiros Everaldo Lubrax, além de cinco reforços: goleiros Adriano e Rodolfo Fernandes, lateral Marquinhos, meia Diego Silva e o atacante Jaílson. Outros dois reforços devem ser o meia Vaninho, ex-Paysandu, e o atacante Leandro Guerreiro, ex-São Raimundo.                    

 


Posições dos paraenses no ranking da CBF     


Dos 419 clubes de todo o país no ranking oficial da  Confederação Brasileira de Futebol, 16 são paraenses. A ordem é a seguinte: Remo 27º (855 pontos), Paysandu 33º (672), Tuna 53º (357), Águia 146º (34), Ananindeua 198º (16), São Raimundo 205º (13), Izabelense 212º (11), Abaeté 228º (9), Santa Rosa 242º (6), Castanhal e São Francisco/Santarém 271º (3), Sport Belém 295º (2), Bragantino, Cametá, Tiradentes e Vênus (1 ponto).      


O maior progresso dos últimos 10 anos é do Águia, que disputou o seu primeiro campeonato nacional em 2001. Tem quatro campeonatos da Série C e uma Copa do Brasil, já sendo o quarto melhor paraense. Além de Remo, Paysandu e Tuna, somente o São Raimundo tem título nacional, mas é o 6º paraense no ranking, superado pelo Ananindeua, cuja melhor campanha foi o 10º lugar na Série C de 2006, quando só não chegou às finais porque foi eliminado no tapetão por ilegalidade do volante Dadá, que jogou com três cartões amarelos contra o Ferroviário/CE.      


Justamente a 27ª posição no ranking da CBF colocou o Leão Azul na próxima Copa do Brasil, como aconteceu também em 2009. O Remo está à frente do Paysandu graças às excelentes campanhas que fez na 1ª divisão em 1972, 1977, 1978 e por ser um dos três maiores pontuadores da 2ª divisão, de 1971, quando foi vice-campeão, a 2007, quando foi rebaixado. O Papão, no entanto, tem dois títulos da “segundona” e um da Copa dos Campeões.      


Mesmo em baixa no cenário nacional, os dois principais clubes paraenses superam três clubes da Série A (América Mineiro, Figueirense e Atlético Goianiense) na última atualização do ranking da CBF.                     

 


Remo pode estar perdendo Elsinho         


Elsinho, 21 anos, melhor lateral direito que o Remo teve nos últimos 15 anos, depois de Marcelo Silva, está na expectativa de ser contratado pelo Brasiliense para disputar a Série C. A negociação está fluindo entre o procurador do atleta e o clube candango.          


Elsinho está em Rondônia. Pelo telefone, disse ao colunista que até ontem não recebeu nenhum telefonema do Remo manifestando interesse no seu retorno, embora esteja nos planos do técnico Sinomar Naves para o trabalho a ser iniciado em agosto. Por isso, e pelo interesse em jogar no campeonato nacional, seja na Série C ou na Série D, está pronto para o primeiro clube que aparecer. Mas não descarta a volta para o Baenão já em agosto, dentro de um projeto de formação de um time competitivo para a próxima temporada.

 

 

Para ler a coluna completa, assine O Liberal Digital!