09 de julho, 2011 - Belém

Novo Papão começa com improvisações e Sinomar tem o desafio de reconstruir o futebol do Remo


 

Novo Papão começa com improvisações


O meia Luciano Henrique está treinando no ataque com Helinton. O lateral Fábio Gaúcho está treinando como meia. Nas variações, Roberto Fernandes lança Sandro no meio e troca Jean por Fábio Gaúcho na lateral. O Papão faz o esboço do time com improvisações por ainda não ter todo o elenco em condições normais de trabalho, como os atacantes Rafael Oliveira e Zé Augusto, sob cuidados médicos, e Josiel, em atividades básicas. Dos que estão no time, Márcio Santos, Rodrigo Pontes e Luciano Henrique trabalham em estágio físico inferior aos demais.  

 

O amistoso da próxima segunda-feira, contra o Águia, vai expor os embaraços do Papão por desentrosamento e limitações físicas nessa reforma do time às vésperas da estreia na Serie C. Dos 11 jogadores que devem iniciar o amistoso, somente Allax e Helinton são remanescentes do time vice-campeão estadual. Além deles, Dida; Márcio Santos, Wagner, Jean; Rodrigo Pontes, Charles Wagner, Fábio Gaúcho, Robinho; Luciano Henrique.  

 

Sinomar, o homem de todas as frentes


Até virar técnico de futebol, há 15 anos, Sinomar Naves acumulou experiências nas mais diferentes funções. Ao encerrar a carreira de jogador, formou-se em educação física e trabalhou como preparador físico na Tuna, dirigente e técnico no Pedreira, auxiliar-técnico, gerente e técnico no Paysandu, técnico na Tuna, no Goiânia, no Remo e no Independente. Os frutos começaram a surgir em 2002, com o vice-campeonato estadual pela Tuna. Em 2005 o primeiro título de campeão paraense, pelo Paysandu, e o segundo este ano pelo Independente/Tucuruí.  Agora o desafio de reconstruir o futebol do Remo, mesma missão já cumprida em 2009.

 

Sinomar Naves teve como mestre o estrategista Miguel Cecim, que além de ter sido seu treinador na Tuna, o recebeu em casa muitas vezes para consultas. Nas dúvidas e no aprofundamento de conhecimento, quando começou a atuar como técnico Sinomar buscou no mestre ensinamentos que aplica até hoje. E está provando que aprendeu.                 

 

Série C: adversários dos paraenses

 

Se o Águia apresentou reforços no início de junho e fez pré-temporada completa em Rondon do Pará, o seu primeiro adversário na Série C, Luverdense/MT, está em preparação desde o final de maio. O clube fez ampla reforma no elenco e trocou a comissão técnica. Lisca é o treinador, que manteve apenas 10 jogadores do antigo elenco e acrescentou outros 18 jogadores, todos desconhecidos do público paraense. Na série de jogos preparatórios para a Série C, o Luverdense goleou o Cruzeiro B/MG por 5 x 0 na Copa Pantanal e venceu os três últimos amistosos: 1 x 0 no Sinop, 1 x 0 no Cuiabá e 2 x 1 no CRAC.

 

O Araguaina/TO, primeiro adversário do Paysandu, formou um novo elenco para a Série C e para a 2ª divisão tocantinense. A preparação começou em junho com o técnico Ivo Secci, que deixou o clube e foi substituído por Leo Goiano. No amistoso do último sábado venceu o Clube dos Trinta por 5 x 0. O artilheiro do jogo foi o paraense Ânderson Marabá, com dois gols.

 

O Rio Branco dispensou 6 jogadores e acrescentou 9 reforços ao elenco campeão acreano, entre eles o lateral Ley, ex-Águia, o zagueiro Martoni, ex-Castanhal e Santa Rosa, e o conhecido volante Zé Marco, que está de volta ao clube. O técnico é Ewerton Goiano, ex-Ananindeua.

 

Série D: adversários dos paraenses

 

Bicampeão maranhense, o Sampaio Corrêa fez poucas mudanças no elenco. Um dos reforços é o atacante paraense Marcelo Maciel, ex-Paysandu, Remo e Águia, com passagens também pelo Noroeste/SP, Guarani/SP e Rio Branco/AC. O time maranhense vai estrear em Belém, contra o São Raimundo.

 

O Comercial vai entrar na Série D em pleno ritmo de competição, pela disputa do campeonato piauiense. O time é desconhecido do público paraense, mas o técnico Aníbal Lemos tem passagem pelo futebol do Pará. Foi meia do Remo, reserva, em 1992.

 

O Trem/AP é mais paraense que amapaense. Tem sete jogadores que defenderam o Cametá no Parazão: Américo, Tonhão, Rubran, Mocajuba, Romeu, Leandrinho e Cassiano, além do técnico Fran Costa e os atacantes Déo Curuçá e Diego Ratinho.

 

Baixinhas

 

* A permanência de Velber e a contratação de Samuel Lopes servem de alento à torcida santarena, que não se conforma com a estreia do São Raimundo em Belém, dia 17, contra o Sampaio Corrêa. É o preço que o povo vai pagar pelo desleixo da prefeitura de Santarém, que não deu condições ao estádio Colosso do Tapajós em tempo hábil. Um filme que se repete a cada vencimento de laudos das instituições de segurança.

 

* Atacante Cristiano Tiririca, ex-Remo, Paysandu, Tuna, Castanhal e Kyikatejê, vai disputar a Série D pelo Santa Cruz do Rio Grande do Norte. Carlinhos, ex-Carajás, está no Tocantinópolis. Ex-remista Ednaldo no Gama/DF. Valdir, atacante paraense revelado pelo Paysandu, está curtindo férias em Belém. O atleta está empregado no Foutoua da Síria.

 

* Vânderson, ex-Paysandu, ainda em Castanhal, esperando por negociações do empresário Ânderson Nasrala para viajar e se apresentar ao novo clube. São três as possibilidades: América Mineiro, Ipatinga/MG ou Caxias/RS.

 

* É dia de Paulo Henrique Ganso em ação com a camisa 10 da Seleção Brasileira. O jogo contra o Paraguai está carregado de desafios para Ganso, depois da apagada atuação (dele e de toda a Seleção) diante da Venezuela. O craque paraense é o nosso principal motivo de atenção à Copa América, que está sofrível, por enquanto.

 

* Paysandu tratando de agilizar a legalização dos importados Márcio Santos, Jorge Felipe, Wagner, Jean, Charles Wagner, Rodrigo Pontes, Luciano Henrique. O processo será simples para Dida, Fábio Gaúcho e Robinho, que já estavam vinculados à Federação Paraense. Ainda não foi iniciado o serviço de legalização de Josiel, Rodrigo Salomão e Juliano.

 

* Roberto Fernandes já deixou claro para Robinho que para emplacar no time do Paysandu o meia terá que participar mais da marcação. Robinho já sentiu a diferença da forma como jogava no Cametá, mas avalia que não haverá dificuldade para adaptação.

 

* Projeto do Castanhal. Walter Lima está organizando o departamento de futebol, tanto profissional como amador. Já tem do seu lado o preparador Maurício Matos, campeão amazonense pelo Penarol. A fase é de garimpagem de jogadores no interior. Em setembro será iniciada a pré-temporada do time profissional para a fase classificatória do Parazão 2012, a ser disputada em novembro.

 

* Antigos seguidores do colunista no twitter (@ferreiraliberal): José Adérito, Fernando Santos, Pedrox, Tayná Martinez, Rafael Santa Brígida, Ricardo Paul, Vinícius Pimenta, Milene Souza, Rinaldo Braga, Rinaldo Braga, André Jr., Rian Lima, Madson Ribeiro, Victor Camarinha, Lucas Chamma e Alex Ferreira.