04 de dezembro, 2010 - Belém

Papão sem avanços na questão do técnico


 

 

 

As cores do sinal para Adriano, Landu e Gian

 

Pelos que comentam internamente os novos dirigentes remistas, o sinal está vermelho para Adriano no Baenão. O goleiro não está nos planos para 2011. Para Landu e Gian, sinal amarelo. O atacante ganhou elogios de Paulo Comelli pelo que mostrou na quarta-feira atuando pelo Ananindeua e começou a mudar o sinal para verde. Gian, 36 anos, treinando sem contrato no Castanhal, é uma questão indefinida. Por ser um atleta agregador e tecnicamente diferenciado, o meia tem chance de ser recontratado.

 

O Remo resolveu eliminar vaidades de quem agia como estrela e alimentava ciúmes, em prejuízo do ambiente no Baenão. Há uma preocupação em contratar jogadores que queiram fazer história e vejam o clube como oportunidade de projeção. São critérios para um elenco unido, ambicioso e valente. Paulo Comelli não abre mão de um time aguerrido. Por isso, vai priorizar jogadores fisicamente vigorosos, além de tecnicamente capazes.

 


Papão sem avanços na questão do técnico

 

Torcida ansiosa e diretoria “pisando em ovos” na questão do novo técnico do Paysandu. Já houve precipitação e recuo envolvendo Joãozinho Rosas, investida mal-sucedida sobre Givanildo Oliveira e várias cogitações entre muitos técnicos oferecidos. Mas a cartolagem bicolor ainda não tem qualquer decisão. É provável que a tão esperada contratação aconteça neste fim de semana. O nome mais badalado passou a ser de Rogério Lourenço, ex-Flamengo/RJ, depois que a coluna divulgou ontem essa possibilidade anunciada ao colunista pelo presidente Luis Omar Pinheiro.

 

Como observa o presidente bicolor, pesa contra Rogério Lourenço o mau retrospecto dos técnicos cariocas no futebol paraense. Os últimos que deram certo foram Joubert Meira (Remo) em 1977/1978, Carlinhos Silva (Remo) em 1989 e Joel Martins (Paysandu) em 1991. Depois, todos os outros fracassaram, inclusive Carlos César, que veio para o Papão em 2006 com as mesmas credenciais de Rogério Lourenço (seleções brasileiras de base e Flamengo) e saiu-se muito mal.

 

Suriname muda atmosfera na dupla Re-Pa

 

Além da injeção de US$ 35 mil (cerca de R$ 60 mil) por dois jogos no torneio e mais US$ 15 mil (cerca de R$ 25 mil) por um Re-Pa em possível jogo extra, os dois clubes paraenses ganham do Suriname uma transmissão de entusiasmo nos jogadores com a confirmação do torneio de Paramaribo. Isso deve ajudar inclusive nas futuras contratações. Para azulinos e bicolores será uma importante experiência internacional, com a oportunidade de exposição a um clube holandês. Melhor ainda para os remistas, que vão enfrentar o Excelsior Rotterdam logo na estréia, enquanto os bicolores vão enfrentar o Inter Moengotapoe, campeão surinamês.

 

Além do torneio de Paramaribo, já garantido, Remo e Paysandu deverão ter este ano também a Copa Panamazônica, provavelmente com um clube do Suriname e outro da Venezuela ou Bolívia, além de clubes do Amazonas, Amapá, Acre, Roraima, Rondônia, Maranhão e Piauí. Sedes em Belém e Rio Branco. O projeto da competição está com a Sport Promotion, empresa contratada pela CBF. A primeira idéia da Confederação Brasileira de Futebol era promover a Copa Panamazônica em novembro, mas a conveniência da rede de televisão que deverá patrocinar está puxando o evento para abril. As novas competições surgem como um novo gás para Leão e Papão, que apesar do imenso potencial de público continuam atolados em dívidas trabalhistas, patinando nas Séries C e D do Campeonato Brasileiro.

 

Uma decisão sem o menor clima

 

Enquanto atletas das mais diversas modalidades sofrem com dois meses de atraso no pagamento da Bolsa Talento, o Mangueirão está fechado para o público por falta de obras exigidas pelas instituições de segurança. Triste fim de linha do atual governo estadual, tão generoso em investimentos nos clubes de futebol e tão desatento nas obrigações básicas. O resultado é que hoje Remo e Paysandu decidem o campeonato sub 17 e a vaga paraense da Copa São Paulo 2012 sem o menor clima de decisão.

 

Por mais discutível que seja a proibição da presença das torcidas, essa decisão do Ministério Público é somente uma conseqüência de um desleixo. Pior para os torcedores comuns, muito pior para os familiares dos atletas de Leão e Papão que tanto gostariam de vê-los em ação. O jogo vai decidir o título no tempo normal ou nos pênaltis. O Remo com André; Ânderson, Joãozinho, Yan, Alex (ou Índio); Gabriel, Nadson, Reis, Biro; Jaime (ou Guilherme) e Rodrigo. Técnico: Tindô. Paysandu com Alan; Daelson, Renan, Tiago, Jackson; Nilton, Wélington, Chileno, Fabrício; Bruno e Elielson. Técnico: Ailton Costa.

 

Baixinhas

 

- Manoel Maria está em Belém. Vai ficar entre amigos e familiares no Pará até o próximo dia 13, recebendo homenagens, hoje, na Curuzu, “garimpando” talento com a peneirada de segunda e terça no Casota, interagindo com dirigentes de clubes e treinadores no 1º Workshop de Futebol de Base do Pará, na próxima segunda-feira, às 19h30, no auditório da TV Liberal, em promoção do Portal ORM.

 

- Alexandre Favaro retornou das férias,recomeçou os treinamentos na Curuzu e vai receber homenagem desta coluna na segunda-feira com o troféu de Profissional Exemplar de 2010, ofertado pela TV Liberal. Favaro será uma das presenças especiais no 1º Workshop de Futebol de Base do Pará.


- 2ª rodada da seletiva do Parazão 2011 com ajustes na tabela. Hoje, 15h30, Ananindeua x Sport Belém no Baenão; às 20 horas, Castanhal x Parauapebas no Modelão. Domingo, 15 horas, Abaeté x Santa Rosa em Abaetetuba; às 9h30, Time Negra x Tuna na Curuzu.

 

- Mesmo sem concorrência, Sérgio Cabeça precisa de 50% dos votos + 1 para ser legitimado como novo presidente do Remo. Terá muito mais que isso. E terá tempo pra isso. A eleição queria seria na noite da próxima segunda, dia 5, ficou para o dia 12.

 

- Moisés no banco do Santos, amanhã, no jogo contra o Flamengo, pelo campeonato brasileiro. Por enquanto, o ex-bicolor só jogou amistosos do time misto. Moisés está sendo preparado para a próxima temporada, principalmente com fortalecimento muscular.

 

- Volante Daniel, ex-Águia, com um pé no Remo, é mineiro e está no futebol paraense há duas temporadas. Atuou pelo Vila Rica e passou pelo Itumbiara/GO sem maiores oportunidades. Foi no Águia que subiu de cotação. Michel, ex-São Raimundo, agora no Icasa/CE, divide opiniões no Leão Azul, mas está na agenda.

 

- Paulo Romano, diretor-técnico da FPF, está consultando o diretor de competições da CBF, Virgílio Elisio, sobre os novos critérios de pontuação do ranking oficial de clubes. Os mesmos critérios da CBF serão aplicados no ranking de clubes da Federação Paraense de Futebol, que vai criar novas metas para os clubes e novas discussões
para os torcedores.