13 de junho, 2016 - Belém

Bernardino Santos


O sucessor de JP

O  presidente da Academia Paraense de Letras, o “imortal” Alcyr Meira, ainda nem declarou vaga a cadeira que pertenceu a Jarbas Passarinho, na APL, e já há gente se apresentado como possível sucessor do ex-governador. O processo para chegar à Academia é longo e, segundo o sábio Zeno Veloso,  que é acadêmico, cheio de dificuldades. 

Este é o calendário da eleição: a cadeira será declarada vaga no final deste mês. Em agosto, o Diário Oficial do Estado publicará a informação. A partir de então, os interessados terão 45 dias para formalizar a inscrição. Decorrido esta prazo, o presidente marcará a data da eleição, que poderá ser até em dezembro. Há muito chão pela frente.

Legado Pontifício

Numa carta enviada ao Vaticano, a Arquidiocese de Belém pediu ao papa Francisco que enviasse um Legado Potifício, ou seja, um representante, ao XVII Congresso Eucarístico Nacional, que acontecerá aqui, em agosto. Ontem chegou a resposta. O Legado será o cardeal D. Claudio Hummes.

Flor de maio

Uma das boas floriculturas da cidade recebeu um estoque da linda Flor-de-Maio, uma espécie que, como o próprio nome diz, só floresce no quinto mês do ano. Como até a natureza anda confusa, estamos em junho e ainda há vasos com botões. 

Influência francesa 

“Belém 400 anos: 

A Influência Francesa na Capital Paraense” é o título do documentário produzido pelo escritor e jornalista Fábio Ávila e pela Aliança Francesa de Belém (que, como eu sempre digo, sem favor algum, é uma das melhores do Brasil), será lançado no dia 16 de junho, às 19 horas, no Cine Estação das Docas, com apoio do Consulado da França em Belém.

Arte moderna

Uma curiosa estátua, do tipo instalação, intitulada de “O Cristo Morto” está exposta na Capela de Nossa Senhora de Lourdes. A peça, assinada pelo escultor Apolo Neves, mede 1.87 x 0,47 e foi feita em latão. Há, inclusive, uma torneira.

Colóquio Max Martins

Para comemorar os 90 anos de Max Martins, a Universidade Federal do Pará realizará, de 14 a 17 de junho, no “campus” do Guamá, um colóquio reunindo especialistas na obra do poeta. Na oportunidade serão lançados mais dois volumes da poesia completa de Max, trabalho primoroso da Editora da UFPa.

Ruy Meira

Os admiradores da pintura de Ruy Meira vão ter que esperar só mais um pouquinho para ver a maior retrospectiva de sua obra, a ser montada na galeria que leva seu nome, na Casa das Artes. Questões técnicas forçaram o adiamento da exposição para o final do mês. Maria Angélica Meira, filha de Ruy, assina a curadoria das obras, que pertencem ao acervo da família.

VITRINE

Iracema e Antônio Lourenço só esperaram terminar as comemorações pelo Dia de Camões e atravessaram o mar rumo a Lisboa.

A professora Lívia Lopes Barbosa ficou de tal modo entusiasmada com o sucesso da programação em homenagem à Amarílis Tupiassu, na Feira do Livro, que pretende repeti-la, no segundo semestre, na Universidade Federal do Pará.

Fafá de Belém estava linda – e cantando como nunca – no show que realizou no Gasômetro. Nunca pensei que o rock e Fafá se dessem tão bem.

Bira e Ana Célia Bahia passam as festas dos santos populares de Portugal – Pedro, Antonio e João – na “terrinha”, onde se come a melhor sardinha assada na brasa do planeta.

As notáveis Célia Cavalcante e Rosita Nassar conversavam animadamente, no final de semana, num restaurante badalado de um dos shoppings da cidade.

O jornalista Iran de Souza autografa amanhã, no começo da noite, no Sesc Boulevard, o livro  “Crônica Histórica e Sentimental de Belém do Pará”, com ilustrações do artista plástico e designer gráfico Sergio Bastos. A publicação tem o selo da editora Empíreo, de São Paulo. 

O vice-cônsul da França entre nós, o amigo e advogado Sérgio Galvão, começa a semana à frente de uma intensa programação cultural que entrelaça a França e o Brasil. Tudo imperdível.

O cronista Denis Cavalcante retorna amanhã de São Paulo, trazendo a lembrança dos dias mais frios que já passou na capital paulista. 

Nalva e Octávio Avertano Rocha comemoraram em família os 15 anos da princesa Manoella Octavia Leopoldina Maria Avertano Rocha. 

Bom dia para a amiga Leomira Affonso, leitora desta coluna, bem cedo, na hora do café da manhã.

Cantinho poesia: “A maior riqueza/do homem/é sua incompletude./Nesse ponto/sou abastado./Palavras que me aceitam/como sou/— eu não aceito”. Manoel de Barros.

Desejo a todos uma semana lindamente iluminada. Amanhã é dia de folga, mas, na quarta, se Deus quiser, o Bernardino estará de volta.

Interinamente.

João Carlos Pereira.