11 de janeiro, 2015 - Belém

Bernardino Santos


Bolsas de estudo

A Fundação Amazônia Paraense de Amparo à Pesquisa divulgou o resultado do Edital de concessão de bolsas para mestrado e doutorado, contemplando a Universidade Federal do Pará com 69 novas bolsas de pós-graduação, sendo 34 de mestrado e 35 de doutorado. O financiamento das bolsas será feito por meio de convênio assinado entre a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoas de Nível Superior e Fapespa.

Continuidade

Na próxima quinta-feira, quando assumir oficialmente o prédio onde funcionou a Receita Federal, na rua Gaspar Vianna, o Tribunal de Justiça do Estado passará a oferecer ao imóvel vigilância armada, vinte e quatro horas por dia, para proteger o material que ainda está lá. O cronograma de obras está previsto para acontecer ao longo de dois ou três anos e será um bom exemplo de continuidade de ações e unidade entre administrações, coisa não usual no serviço público. A desembargadora Luiza Nadja conseguiu o imóvel e seu sucessor, o desembargador Constantino Guerreiro, executará as obras. 

Poesia

Filha do poeta Bruno de Menezes, irmã Marília Menezes, que herdou do pai a sensibilidade e amor pela poesia, lança, no dia 15, mais um livro de poemas. A obra se chama “Amazônia e o mundo” e toda renda será revertida para as obras apostólicas das irmãs de sua congregação, que é a das Adoradoras do Sangue de Cristo. Os autógrafos começarão às 18h30, na Fox, da Dr. Moraes.

Grana na mão

Se não é verdade, pelo menos não faz mal divulgar o que corre pelo zap-zap: o mês de agosto de 2015 vai ter 5 sextas, 5 sábados e cinco domingos, o que só acontece uma vez a cada 823 anos. Para os chineses, isso significa “bolso cheio de dinheiro”.

Mostra de joias

Foi prorrogado para o hoje o encerramento da exposição “Metal-Morfose: A Transformação da Matéria”, de joias em ouro e prata, montada no Polo Joalheiro do Pará. A mostra é resultado de quase uma década de pesquisas realizadas por Paulo Tavares, mestre ourives e pesquisador, que assina a coordenação técnica. A exposição é uma promoção do Governo do Pará, via Secretaria de Estado de Indústria, Comércio e Mineração e Instituto de Gemas e Joias da Amazônia.

Sem fome

A Capelinha de Nossa Senhora de Lourdes recebe, até hoje, doações dos fiéis para a campanha das cestas de Natal, que são usadas ao longo do ano para curar uma das mais graves doenças da humanidade: a fome.

Buracos

As primeiras chuvas do inverno, que se anuncia rigorosíssimo, já causaram estragos na calçada do Museu Goeldi, normalmente bem conservada pela instituição. Em vários locais as pedras estão soltas e os buracos só aumentam.

Listão

A Universidade do Estado do Pará divulga amanhã o listão dos aprovados nos Processos Seletivos 2015 - Prise e Prosel. O anúncio será feito a partir das 9 horas, no Prédio da Reitoria. Até lá, agüenta coração!

Luto

A imagem da Torre Eiffel apagada é a melhor tradução do que sentem os parisienses - e o mundo em geral - após os atos de terror na capital da França. Nada poderia ser mais simbólico e mais triste. A Torre acesa - e piscando a cada hora - é um sinal de alegria que, hoje, Paris não possui.

Vindima

Começa no próximo final de semana, e vai até 15 de março, em Bento Gonçalves, no Rio Grande do Sul, o período de vindima, durante o qual os turistas podem colher e pisar as uvas nas vinícolas da cidade. É uma experiência indescritível.

Bastidores

Na coluna “Nos Bastidores” de hoje, a convidada é uma das mais antigas feirantes do Ver-o-Peso, uma portuguesa que, há um ano, descobriu chamar-se Liseta. Por  84 anos foi conhecida como Lizete. E na crônica de amanhã, uma homenagem a Pedro Renda, que nos deixou há uma semana.

Viva Belém!

A Academia Paraense de Letras vai comemorar o 399º aniversário de Belém, com uma sessão especial, no dia 29 de Janeiro, às 19 horas. O orador será o advogado e professor “imortal” Octávio Avertano Rocha.

Vitrine

O “imortal” Jarbas Passarinho completa, hoje, 95 anos. JP mora em Brasília e será alvo de  homenagens, tanto da família como dos muitos amigos que moram em Belém. Jarbas presidiu a Academia Paraense de Letras, governou o Pará, foi ministro de várias pastas e senador.  Em seu currículo há mais de trinta títulos de doutor honoris causa. Daqui o meu abraço ao querido confrade.

E por falar em Jarbas Passarinho,  um dos presentes que vai receber  saiu de Belém, via Correios: um poema escrito por Edy-Lamar d´Oliveira, sua amiga e confreira da APL, para celebrar a data.

Ricardo Soares Fonseca, filho de Mônica Soares Fonseca e Marden Ricardo Fonseca, e neto de Rosa Lúcia e Antônio Soares, completou 12 anos e celebrou a data em família.

O jornalista gente boa Tito Barata, nosso antigo colega da TV Liberal e, hoje, diretor do IAP, aniversariou na sexta e comemorou a data em família.

Isabella Gueiros passou as festas de fim de ano por aqui e já voltou para o Rio de Janeiro, onde cursa o mestrado em estruturas metálicas, na Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

Em março próximo, orientada pelos doutores Luciano Lima e Pedro Vellasco, Isabella, que é filha de Mônica e Hélio Gueiros Jr., defenderá dissertação sobre o tema “ Comportamento de vigas casteladas em aço inoxidável”, algo novo no Brasil.

Os recém-casados Daniel e Lorena Alves, ele fisioterapeuta e ela psicóloga, encerraram o tempo de lua-de-mel já retornaram às suas atividades.

Quem também já retornou a Belém foi o casal Alexandre Lopes e Danielle Telles. Eles curtiram o final de ano a bordo do navio Costa Pacífica, num cruzeiro que passou por Montevidéu e Buenos Aires.

Ótima notícia: padre Ronaldo Menezes já está de volta ao trabalho pastoral e ao Museu de Arte Sacra, com a saúde totalmente recuperada.

Saber, você sabe, mas nunca é demais repetir: quem faz e acontece, seja com o titular, seja com o interino, no Bernardino aparece. E brilha.

Só quem salga e apimenta a coluna é o titular. O interino apenas aguarda o titular para ler “Sal e Pimenta”. Sorry.

Alcyr Guimarães, cantor e compositor dos bons, participou do programa de Adelzon Alves, “o amigo da madrugada”, na Rádio Nacional do Rio de Janeiro, onde o samba é a maior bandeira. Grande Alcyr! 

Para que ninguém esqueça: “Je suis Charlie”. Todos que amam a paz e a liberdade são Charlie.

Bom dia para o amigo Caíto Lanhoso Martins, leitor desta coluna, bem cedo, na hora do café da manhã.

Cantinho da poesia: “Belém minha terra, minha casa, meu chão/Meu sol de janeiro a janeiro a suar/Me beija, me abraça que quero matar/A doída saudade que quer me acabar/Sem círio da virgem, sem cheiro cheiroso/Sem a “chuva das duas” que não pode faltar/Cochilo saudades na noite abanando/Teu leque de estrelas, Belém do Pará!” Adalcinda e  Edyr Proença. 

Desejo um domingo especialmente iluminado e pleno de paz para todos. Amanhã, se Deus quiser, estarei de volta.

Mensagens para este espaço pelo email jcparis@orm.com.br

Interinamenteo, João Carlos Pereira